Arquivo da tag: Japão

Sakura moti, gostinho de primavera no Japão

Já faz um tempinho que estava louca para comer um sakura moti. Culpa da galera que estava postando fotos lindas da primavera no Japão com as tradicionais cerejeiras (sakura), hehe. Aqui uma foto de quando morei no Japão. Não perdia um Ohanami por nada! E viva a primavera!! (lá, no caso, hehe, porque aqui está começando o outono).

JP_Mai2004_018Quase um mês tentando comprar o docinho e finalmente consegui um endereço e tempo para bater perna. Parece que mesmo na Liberdade esse doce não é tão fácil de ser encontrado. Fui à lojinha Kanazawa, na Rua Galvão Bueno, 379, Liberdade. É uma lojinha pequenina, meio escura e labiríntica. Ma o mais importante é que os doces ficam já na entrada, hehe, assim, não tem erro, né. Só me incomoda um pouco esses plásticos todos. Mas se for para garantir a qualidade do produto, beleza.

Spoon_AG_0320Aqui o detalhe de bandeijinhas de docinhos variados. Adoro essa festa de cores.

Spoon_AG_0321E claro, o Sakura Moti!!! Hmmmmm… delícia! Ainda o doce, especialmente do anko, com o ligeiro salgadinho da folha, é tuuudo! Interessante como a nossa percepção é resultado de uma série de valores, sensações, emoções, recordações, e por aí vai. Nem sei se era tão bom assim, pois não consigo lembrar com muita nitidez o que comi no Japão. Mas me deu uma sensação de felicidade intensa!

Spoon_AG_0317Aproveitando, achei interessante o post do Blog Washoku, que descreve dois tipos de sakura moti.

E o estilo JOUKATA  (ou Doumyouji ou Kansai), cozido à vapor. Esse que comi. Deixa-se o arroz motigome de molho com corante, depois coloca-se em uma bacia. Vai para a panela e é cozido à vapor. Logo em seguida enquanto quente, faz-se os bolinhos, com anko dentro.O moti é envolvido com a folha de cerejeira previamente temperada na solução de água e sal.

O estilo EDO (ou Choumeiji ou Kanto), que é feito com massa de moti em pó, misturado com água até ficar pastoso e assado bem de leve, que envolve o anko (massa de azuki) e finalizado com uma folha da cerejeira.

Fonte: Blog Washoku

Anúncios

O tradicional Yōkan

Hoje, andando pelo bairro, o som dos insetos estava bem alto, lembrava os verões no Japão. Essa lembrança deu uma baita vontade de comer yōkan!

Não vou negar, desde pequena nunca fui muito fã de yōkan, um doce meio gelatinoso a base de feijão azuki. Comumente encontramos a versão de azuki vermelho, que era o que eu comia (pouco, rs).

Segundo a página da Marisa Ono, além do azuki, existem variações com fava, caqui, castanhas, abóbora e batata-doce.

Existem as versões neri yōkan e mizu yōkan. O segundo com mais água (mizu) é ideal para ser apreciado gelado no verão. Ainda existe a versão mais clara e sabor mais suave, que é feita de grãs claros, que podem ser misturados com chá verde. Originalmente era feito com gelatina de origem animal, na China. Introduzido no Japão pelos Zen Budistas, a gelatina animal foi substituído por trigo, e posteriormente por agar-agar, este último se tornando a base do yōkan moderno (Wikipedia).

Então semanas atrás ganhei um yōkan de chá verde (Green Tea Youkan) do Mikuniya Zengoro. E dizia na embalagem para apreciar com chá, já que pelo que entendi também, essa empresa é especializada em chás. Olha só a embalagem, linda. Gosto também desse estilo. Do lado esquerdo a embalagem principal externa e do lado direito a embalagem interna.

Spoon_AG_0115mE claro, apreciei acompanhado de um chá verde.

Spoon_AG_0119mPara minha grande surpresa, achei maravilhoso. A sutiliza do sabor, aos poucos surge suavemente o sabor do chá. A perfeita harmonia do doce com o leve amargor do chá. Nossa, que coisa boa… Facilmente me imagino tomando um belo chá verde com esse yōkan num lugar como este, em Kyoto… Ai, ai…rs.

JP_Ago2004_024m

Agora virei fã de yōkan e vou querer experimentar mais variedades!! hehe. Ou vai saber, minha percepção mudou ao longo dos anos…

E falando em Pizza…

Da comida de “segunda categoria” para pobres e jovens, conquistou o planeta, chegando às mesas da alta gastronomia com ingredientes como a pizza criada por Gordon Ramsay – massa fina coberta com purê de cebolas italianas, pasta de trufas brancas, queijo fontina, mozarela baby, pancetta, cogumelos porcini e ervas aromáticas frescas (HELSTOSKY, 2012). Como diria a minha irmã, não tenho roupa para comer essa pizza… kkkk

E já que hoje, domingo, é o dia oficial da pizza, uma curiosidade: sabiam que a pizza mais pedida em São Paulo é a frango com catupiry? Choquei quando minha professora do SENAC me contou isso! Juro que imaginei algo como pizza de muçarela ou margherita…

Outra coisa que me chocou esses dias foi ter visto na quarta temporada do Top Chef o desafio relâmpago de preparar pizzas. Quando vi as pizzas, fiquei abismada, sério, top chefs? As pizzas pareciam mais tortas. Vejam isso… Só a do chef Richard Blais (último), que sou super fã, parecia com a pizza que usualmente conhecemos.

Pizzas_TopChef_Season4Acho que isso é parte da graça da pizza, em cada lugar tem uma cara diferente! Mesmo aqui em São Paulo, as massas grossas, as finas, as crocantes, as massudas, as assadas em forno a lenha, assadas em gordura como da Pizza Hut, redondas, quadadas, e por aí vai. Tem para todos os gostos! Ah, e ano passado nos deparamos com a pizza feito com massa de pastel, terrível….

No Japão eu costumava comprar fatias individuais de pizza industrializada para levar de lanche para a fábrica onde eu trabalhava. Era gostoso, mas muito diferente de qualquer pizza que havia experimentado. Aí resolvi ler os ingredientes e a surpresa, não tinha queijo e sim maionese!!! Ahhhhh…. sério??? Que bizarro. Contei isso aos meus colegas brasileiros, mas não acreditaram, hehe. A pizza era mais ou menos assim, só que de outra marca (não encontrei a imagem que eu queria).

PICT0140Ainda no Japão, quando criança, a coisa que mais achei estranha era ter pimentão e outras verduras na pizza. E claro, o pimentão era sempre muito marcante. Hoje em dia é mais comum encontrar pizzas no estilo Pizza Hut e Domino’s. As propagandas e cardápios são ótimos, as fotos já dão água na boca e os ingredientes podem ser bem diferentes como o nori (alga) e vários tipos de frutos do mar.

20080709_pizza_menuE claro, não podia deixar de homenagear uma das melhores propagandas de pizza ever, ups, quer dizer, de refrigerante…kkk. É que sempre lembro da pizza, não do refrigerante. Diz a lenda que essa propaganda aumentou as vendas da mesma.

Saudoso Vídeo Pizza com Guaraná: https://www.youtube.com/watch?v=HgBI_cKboUM

Boa pizza a todos!!!

Conhecendo culturas através dos mercados

Um dos atrativos imperdíveis em qualquer lugar que se vá, para mim, são os mercados. Nesses lugares é possível conhecer um pouco sobre a cultura local além de poder experimentar várias delícias, conhecer novos sabores, porque não?

O Mercado Municipal de São Paulo, tem a cara de São Paulo, com produtos de todas as partes do mundo. Um passeio não só para turistas de fora, mas também para os que moram na cidade.

Spoon Experiências GastronômicasÉ tanta variedade que muitas vezes fico tonta e acabo me esquecendo de comprar várias coisas. Foco neste local, definitivamente é algo bem complicado, rsrs.

Spoon Experiências GastronômicasParticularmente não sou muito fã do pastel de bacalhau que para mim é muito seco e salgado, e o famoso pão com mortadela, que para mim vem mortadela demais. Mas o sanduíche de filé mignon do Hocca Bar, no térreo, é de comer de joelhos!!

Spoon Experiências GastronômicasNo Japão, o que mais me chamou a atenção foi o mercado de peixes, impressionate a variedade, e tudo muito fresquinho. Nesses locais ainda existem praças de alimentação onde podemos degustar os peixes frescos. O melhor é a cumbuca com arroz de sushi e em cima escolhemos os frutos do mar crus de nossa poreferência. Inesquecível! Esse mercado era em Hokkaido.

JP_Mai2004_026Mesmo tento o hábito de comer comida japonesa desde pequena, nas feiras a gente encontra muita coisa inusitada. Mercado em Kyoto.

Spoon Experiências GastronômicasFalando em frutos do mar, Santiago, Chile também era bem interessante, com um monte de nomes que não fazia idéia do que poderia ser. Bem, por ser japonesa, tive que aguentar os vendedores  empurrando ouriço do mar, uma iguaria muito apreciada pelos japoneses, mas eu ainda não aprendi a apreciar…rs…

PBC.2003_022E o merdado de Santiago era simplesmente um charme.

PBC.2003_019Em La Paz, Bolívia, o famoso Mercado das Bruxas – estatuetas, fetos de lhama, coisas que não consegui identificar…

PBC.2003_001Poções para amor, dinheiro, força, importência, “remédios” e mais ervas…

PBC.2003_002No Peru a Feira de Pisac no Vale Sagrado. Milhos coloridos que nunca tinha visto…

PBC.2003_009Frutas da região…

PBC.2003_010Temperos… Lindo demais esses coloridos, um encanto!

PBC.2003_011Na feira ao ar livre em Puno, grande variedade de batatas. Tomei uma sopa que vinha com batatas pretas, muito bizarro. Claro que perguntei primeiro se tinha pedaço de algum bixo dentro da sopa, hehe, mas era vegetariano!

PBC.2003_015Enfim, independentemente, se é um mercado charmoso como o Mercado Municipal de São Paulo ou o mercado de Santiago, simples como as do Peru ou Bolívia, ou mercados urbanos como o Whole Foods dos EUA, que amo, é uma forma muito divertida e gostosa de conhecer as diversas culturas! Costumo dizer que mesmo cidades no meio do nada, o fato de ver um mercado quase sem produtos, ou de má qualidade, é interessante, pois reflete a realidade local.