Arquivo mensal: outubro 2015

Fava de Baunilha

SpoonCook.2015_0218A fava de baunilha faz toda a diferença nas receitas, gosto de usá-lo sempre que posso. O valor também já não é tão alto como costumava ser. Na última compra que fiz, paguei R$ 16,00 por duas favas no Mercado Municipal de São Paulo. Deixo aqui dicas para utilizá-lo.

  1. Faça um corte na longitudinal.
    SpoonCook.2015_0217
  2. Com a ajuda de uma faca pequena, raspe a fava na parte interna.
    SpoonCook.2015_0219
  3. O que sai são inúmeros pontinhos pretos que serão utilizados nas receitas.
    SpoonCook.2015_0220
  4. A fava pode ser utilizada no meio da receita também, especialmente quando se esquenta, por exemplo, o leite do pudim. Mas eu prefiro colocar no potinho de açúcar para ter um açúcar perfumado de baunilha que pode ser utilizado de diversas formas, tanto para receitas quanto para simplesmente adoçar uma bebida.

Un Restaurante

Inaugura no dia 27 de outubro de 2015, o Un Restaurante que promete trazer um conceito diferenciado a São Paulo. No térreo será à la carte e no piso superior, futuramente, serão 14 lugares para menu-degustação.
O novo restaurante tem forte influência do Nobu Matsuhisa, onde trabalharam o chef Tadashi Shiraishi e o sous chef Bruno Takemoto.
Spoon.2015_1299Destaca-se também na preparação de sushis, uma mulher, Alice Celidonio, fato que pouco se vê em restaurantes japoneses.
Spoon.2015_1313Coquetéis: Deep Red e Comandante, bem delicados, para começar a noite.
Spoon.2015_1298Ceviche de Tofu Crocante e Abacate. O tufu que costuma ser sem graça, ganha vida nesse prato, tanto em sabor quanto em textura.
Spoon.2015_1300A Salada Spicy Tuna é a minha preferida, o tempero é mais que especial, indo muito além da picância.
Spoon.2015_1325Salmão Tataki com Karashi Su Misso. Surpreende o su misso que eu particularmente não gosto, principalmente por sentir em vários pratos que já experimentei, o excesso de acidez. Esse su misso é equilibrado e delicado, harmonizando perfeitamente com o peixe.
Spoon.2015_1303New Style Sashimi de Salmão, técnica de regar com azeite quente para selar o peixe.
Spoon.2015_1305Atum Tataki com Molho de Jalapeños. Sou suspeita, pois adoro pimenta, mas esse prato além de lindo é delicioso, o molho de jalapeños é muito especial. Aliás, a pimenta é bastante marcante no cardápio do Un.
Spoon.2015_1307Crispy Rice Atum. O contraste de texturas do bolinho de arroz frito com o peixe, o jalapeño também aparece na medida certa.
Spoon.2015_1310Sake servido no Tokkuri de cerâmica em formato de bambu, design desenvolvido exclusivamente para o restaurante.
Spoon.2015_1308Sushis e sashimis variados, nos quais é possível observar toda a técnica dos sushimen.
Spoon.2015_1340Novidade, Hosomaki feito com shari de arroz integral, que nunca havia visto antes em pratos japoneses, interessante opção para aqueles que têm preferência pelos integrais.
Spoon.2015_1332“Risotto” de Quinoa com Cogumelos. O a quinoa é preparada de forma semelhante ao arroz do risotto, de textura agradável e sabor bem marcante dos cogumelos.
Spoon.2015_1316Angus, Legumes Grelhados e Molho de Wasabi. Diferentes combinações de legumes grelhados com a carne, todos combinando muito bem com o molho de wasabi.
Spoon.2015_1327Concentração do Chef Tadashi Shiraishi, sempre atento a todos os  detalhes.
Spoon.2015_1334Agora, o que está por vir, acredito ser o melhor, o menu-degustação que será feito no andar superior. Um exemplo das criações do Tadashi, é este Nimono de Nhame, elevando um produto tão simples a um prato incrível.Spoon.2015_1320Esse é outro exemplo, o tradicional Yakinasu, com o caldo trabalhado, através de experimentos do chef.
Spoon.2015_1336Trio de Choux, do Felipe Tadao, com massa bem crocante contrastando com o recheio. Aqui os sabores são de creme, matcha e doce de leite.
Spoon.2015_1339Un, significa destino em japonês, e pelo que apresentou na pré abertuta, promete ter um futuro promissor.
Sucesso à equipe Un!

Un Restaurante
Website: http://un-restaurante.com/
Facebook: https://www.facebook.com/unrestaurante2015/timeline
Endereço: Rua Padre João Manuel, 1050, Cerqueira César, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 3060-9513 / Reservas: (11) 3086-0066.
Horário de funcionamento: Seg a Qui 19h30/24h; Sex., 19h30/0h30; Sáb. 13h/16h30 e 19h30/0h30; Fecha dom.

Cave Colinas de Pedra – espumantes em túnel de trem

Confesso que antes de conhecer, fiquei com receio que fosse um passeio demasiadamente turístico, mas ao longo da visita, pude passar por uma experiência linda, em vários sentidos. Aproveitando minhas férias, queria conhecer produtores de várias áreas, e um de meus escolhidos foi de espumantes. O que me levou a colocar a Cave Colinas de Pedra na minha lista de lugares a visitar foi um programa da Globo. Fiquei super curiosa com a tal da produtora de espumante que usava um túnel de trem abandonado.
O passeio começou em Curitiba, já com carro alugado, seguindo para Piraquara com a ajuda do aplicativo Wase. Preferi confiar nele, já que estava viajando sozinha.
Saí do hotel em Curitiba bem cedo, com medo de me perder, preferia ficar aguardando pelas redondezas a perder o horário, rs. Logo, conheci o seu Ari Portugal, o famoso, uma simpatia de pessoa. Era hora da passagem do trem de passageiros que faz o passeio de Curitiba a Morretes. Aprendi com ele o ritual de cumprimentar os passageiros, fiquei envergonhada no começo, mas depois vai vindo uma sensação gostosa, e faz entender porque o pessoal da Cave faz isso todos os dias.
Spoon.2015_1357As meninas da cozinha largam tudo na hora da passagem do trem, e com sorriso nos rostos também cumprimentam os passageiros. É contagiante!
Spoon.2015_1358Logo fui convidada para tomar um café, na cozinha, é claro, um dos meus lugares preferidos. Adoro acompanhar os preparativos, e bater papo ao som das panelas e sentindo os aromas da cozinha.
Spoon.2015_1359Do ladinho, o setor de lavagem das taças para os espumantes. Cuidado em cada detalhe.
Spoon.2015_1361Enquanto a equipe se preparava para o começo das atividades, aproveitei para conhecer um pouco as instalações. A edificação principal é a Estação Roça Nova, sim, das primeiras fotos acima de onde a equipe cumprimenta os passageiros dos trens. Abaixo a foto da edificação vista por quem sai do estacionamento. É onde fica também o restaurante e a loja de produtos da Cave.
Spoon.2015_1379Salão charmoso onde estão expostos alguns produtos para venda.
Spoon.2015_1376Salão térreo do restaurante.
Spoon.2015_1374Parte do salão do piso superior.
Spoon.2015_1367Ainda no piso superior, uma área de apoio do buffet, e ao fundo o bar.
Spoon.2015_1366Aqui, seu Ari apresentado todo orgulhoso o espumante premiado.
Spoon.2015_1363Um pouco acima do estacionamento, um vagão do trem de luxo, a Litorina. Fabricado em Philadelphia nos EUA na década de 60, foi restaurado, sendo equipado com bancos , sanitário, cozinha e cabine de comando. O projeto do Vagão Gourmet está quase concluído, o que proporcionará ao visitante a sensação de ter uma refeição em um vagão de luxo.
Spoon.2015_1386Cozinha do vagão de luxo.
Spoon.2015_1387Para a minha surpresa, fui encaixada no primeiro grupo, da Confraria de Baco de Paranaguá – PR. Não podia ser melhor para uma pessoa super interessada na parte técnica da produção de espumantes. O acesso para o famoso túnel é feito por uma trilha, proporcionando um certo suspense.
Spoon.2015_1403Escadaria e logo avistamos o túnel paralelo que é utilizado pelos trens de carga e passageiros.
Spoon.2015_1404Já na base, pudemos ver ambos os túneis. A história da transformação desst túnel utilizado por trens para a Cave é bem interessante. Seu Ari comprou o terreno que possui hoje em 999, com a intenção de criar um hotel fazenda, um terreno privilegiado, cercado pela linha férrea e a Represa Piraquara.
O túnel do lado direito funcionou de 1885 a 1969, mas foi desativado quando passou a ser incompatível com os novos trens mais pesados. Durante a fase de projeto do hotel fazenda foram adquiridos as ruínas da estação e o túnel.
Spoon.2015_1406Inicialmente, seu Ari não sabia o que seria feito com o túnel de aproximadamente meio quilômetro. Até que um dia, surgiu como um sonho, a idéia de viabilizar uma cave de maturação de espumantes. Ari começou a estudar sobre espumantes, e fez a medição da temperatura do túnel, depois de fechá-lo nas duas pontas. Constatou, depois de 2 anos, a variação de apenas 1°C durante o ano, com mínimo de 16°C no inverno e máxima de 17°C no verão, temperatura ideal para a maturação de espumantes. Uma série de fatores fez com que esse túnel tivesse estas condições, como a formação rochosa de granito, a água percolando a baixa temperatura, a declividade do túnel e o ar frio que chega da serra.
Abaixo, com a Confraria de Baco de Paranaguá, na entrada do túnel.
Spoon.2015_1390Aqui começamos a aventura pelo tão esperado túnel. A boca do túnel é maravilhosa, uma parede verde e água escorrendo, até parece um lugar mágico.
A região não é produtora de uvas para vinho, também não possui as condições ideais de produção, assim, Ari garimpou produtores, chegando à parceria com a Vinícola Geisse, localizado na região de Pinto Bandeira, distrito de Bento Gonçalves, conhecido como região dos Vinhos da Montanha.
O vinho vem do sul, e a finalização em espumante é feito na Cave Colinas de Pedra pelo método Champanoise.
Spoon.2015_1409A primeira parte do percurso é feito em um trenzinho, o que dá um clima interessante ao passeio, a transição entre o túnel do trem para o túnel dos espumantes. A escuridão e a umidade dão um ar de suspense.
Spoon.2015_1412Assim que o trenzinho para, nos deparamos com esta porta de cofre forte, só pode ter coisas muito preciosas dentro, foi o que pensei.
Spoon.2015_1413Esta é a sala de Dégorgement, com a estrutura em forma de tudo, homenageando os tubos de ônibus de Curitiba. Mais para frente explico como funciona esta sala.
Spoon.2015_1415Ari dando aula sobre espumantes. A capacidade atual de armazenamento é de 50.000 garrafas, podendo ser ampliada futuramente. São vários os projetos, é provável que em breve ele anuncie. Posso adiantar que são bem interessantes!
Spoon.2015_1425Berçário, onde o vinho ganha complexidade.
Spoon.2015_1420A Remuage é feito pelo próprio Ari, que consiste em girar a garrafa e dar um “soquinho” na hora de assentar a garrafa, fazendo com que a levedura caia progressivamente para a tampa.
Spoon.2015_1430Aqui a imagem da levedura se depositando nas garrafas do berçário.
Spoon.2015_1427E chega o momento do dégorgement, que consiste no processo de eliminar o depósito de levedura que o remuage concentrou no gargalo da garrafa. O bico da garrafa é congelado para a retirada das impurezas. Ainda nesta sala, é feita a adição do licor de expedição, dependendo do espumante, a colocação da rolha e gaiola e a rotulagem.
Spoon.2015_1417Aqui o seu Ari explicando a forma correta de servir o espumante. Primeiramente provamos o Nature, sem adição de açúcar, maravilhoso! Possui “cor amarelo-palha, com reflexos esverdeados. Perlage intenso, com bolhas pequenas e persistentes. Aromas de médio ataque, muito fresco, com leveduras, tostados, mel e frutas secas com damasco e amêndoas. Paladar encorpado, com acidez equilibrada, bastante seco.
VINHO BASE: Aproximadamente 80% Chardonnay e 20% Pinot Noir.
TEMPO MÍNIMO DE MATURAÇÃO EM CAVE: 24 meses.
GRADUAÇÃO ALCOÓLICA: 12% do volume.
Spoon.2015_1432Experimentamos também o Extra Brut, com teor de açúcar de 3 a 8 G/L. Confesso que prefiro infinitamente o Nature.Spoon.2015_1422Um brinde!
Spoon.2015_1421Depois do belo passeio rico em experiências, sabores e conhecimentos, a Mesa Gourmet!
Spoon.2015_1442Mais uma vez, percebe-se o carinho em cada detalhe.
Spoon.2015_1443Claro que eu tinha que experimentar tudo! Salada de melão com tomate e vinho do Porto, ceviche de manga, repolho com gergelim torrado, caprese molho pesto, e queijos.
Spoon.2015_1434Partindo para os quentes. Tudo em porções pequenas, permitindo experimentar um pouco de cada coisa, sem perder o charme. Polenta com ossobuco.
Spoon.2015_1436Batata gratinada com Brie.
Spoon.2015_1437Barreado.
Spoon.2015_1439Moqueca de camarão.
Spoon.2015_1441As sobremesas, um pouco doces para paladar oriental, mas muito saborosos. Bolo com abacaxi e suspiro.
Spoon.2015_1450Brigadeiro.
Spoon.2015_1451Doce de caramelo com castanhas.
Spoon.2015_1452Mousse de limão.
Spoon.2015_1453Inaugurado em 24 de janeiro de 2015, em oito meses de funcionamento, já recebeu 2.500 visitantes. O projeto é um sucesso, mesmo preparado para ter prejuízo no primeiro ano, não teve sequer um mês de prejuízo. Dá para entender porque.
Para quem gosta de vinhos e espumantes, é um passeio que recomendo. Passar o dia em um lugar absolutamente agradável, comendo e bebendo bem, e ainda por cima conhecer um trabalho feito com tanto amor, tem coisa melhor?
Spoon.2015_1433Agradecimentos a Rafaelle Portugal, filho de seu Ari, e toda a equipe pela calorosa recepção.
Spoon.2015_1458E um agradecimento especial ao seu Ari Portugal pelo carinho, pelos momentos de muitas risadas e aprendizados, e pelo exemplo de garra. É sempre inspirador conhecer pessoas que correm atrás de seus sonhos, que arriscam e ouvem a voz do coração.
Spoon.2015_1455
Cave Colinas de Pedra
Website: http://www.cavecolinasdepedra.com.br/
Endereço: Rua Antonio Brudeck, 100 – Bairro Roça Nova, Piraquara, PR.
Telefone: (41) 9667-5000.
Horário de funcionamento:
– De quarta a domingo das 10 as 17 horas.
– Sábados, domingos e feriados servimos Mesa Gourmet.
OBS1: Faça reserva!!!
OBS2: Para mais informações da Cave e a produção de espumantes, visite o site.

Yakitori, um pedaço do Japão em Moema

Yakitori é um restaurante que queria conhecer já a algum tempo, pois várias pessoas indicaram, principalmente pelos yakitoris (espetinhos).
Como sempre escolhi o balcão. Fiz reserva, coisa que recomendo para quem se importa com o lugar que se quer sentar no restaurante. Chegamos cedo, quase na abertura do restaurante de noite, mas em aproximadamente uma hora, a lista de espera começava a crescer.
Interessante também o fato de ser frequentado por muitos japoneses, até nos faz sentir no Japão, de tanto que se houve as conversas em japonês.
Spoon.2015_1123Sentar no balcão onde é preparado o yakitori e ver os produtos que vão ao fogo é um atrativo à parte!Spoon.2015_1124Só de olho nos espetinhos, vendo o que parecia ser mais apetitoso. Na verdade, dá vontade de experimentar tudo, rs.Spoon.2015_1131Escolhemos vários espetinhos, no meu caso, todas as possibilidades do frango mais alguns. Não se preocupe em pedir vários de uma vez, eles vão mandando aos poucos.
O primeiro a chegar foi o alho, uma delícia, bem docinho.Spoon.2015_1135Tebasaki (asa de frango), interessante como ele fica aberto no espeto.Spoon.2015_1137Quiabo e Nankotsu (cartilagem de frango), esse para mim é meio polêmico. Ok, tem textura diferente, mas tive aflição de comer, rs. Deve ser a falta de costume.Spoon.2015_1141Reba (fígado de frango) em duas versões, feito apenas com sal e a com tare. Ambos são bem gostosos, isso que nunca fui muito fã de fígado. Vale a pena experimentar os dois e sentir a diferença.Spoon.2015_1143Engraçado pote para ir colocando os espetos usados…Spoon.2015_1145Esse petisco é imperdível, pururuca de pele de frango, extremamente crocante e saboroso.Spoon.2015_1146Pedi o Tori Kawa (pele de frango) na versão espeto. É bom, mas a pururuca achei bem mais gostosa e a crocância infinitamente superior.Spoon.2015_1147Hatsu (coração de frango), bem saboroso.Spoon.2015_1149Este não é frango, mas a combinação não tem erro, filé mignon com bacon.Spoon.2015_1151Sunaguimo (moela) à esquerda, e Neguima (frango com cebolinha) à direita. O segundo é um super clássico que sai muito bem.Spoon.2015_1153Os espetinhos são muito bons, vale a pena a visita. Mas a conta fica meio salgada se ficar somente nos espetinhos.
Conforme o tempo vai passando o movimento do restaurante aumenta. Nesse momento a grelha lota, e a diversão não é apenas comer, mas assistir ao show dos cozinheiros. Spoon.2015_1155De sobremesa pedimos opções com cara mais oriental. O primeiro foi o sorvete de matcha, que estava com textura um pouco esfarelenta.
Spoon.2015_1156E o segundo foi o sorvete de chocolate com wasabi. A sensação é de estar comendo um sorvete de chocolate comum com pó de wasabi, um tanto quanto estranho.Spoon.2015_1157Tem também o oden, que desta vez não experimentamos, ficará para uma próxima visita. Outra coisa que falam muito bem é o teishoku no almoço.Spoon.2015_1158Os funcionários são super atenciosos e divertidos, nos proporcionando uma noite de boas gargalhadas.Spoon.2015_1161
Yakitori

Endereço: Av. dos Carinás, 93, Moema, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 5044-7809.
Horário de funcionamento:
Almoço – Seg. a Dom. das 12h às 14:30
Jantar – Seg. à Sáb. das 18h às 23h.
Fechado todo primeiro domingo do mês (almoço e jantar).

Kampai!!! – Comemorando o Dia do Sake

Dia 1 de Outubro é o Dia do Sake!
Porque dia 1 de outubro? A sake sommelier Sonia Yuki Yamane da Haru Consultoria explica que a data foi estabelecida em 1978 pela associação de produtores de sake e shochu pelos seguintes motivos:
– No ideograma de sake, o componente do lado direito signifiva “tori” (ave), sendo o décimo signo do horóscopo chinês. Antigamente era usual a a utilização do calendário na qual cada mês representava um animal, assim, outubro correspondia ao “tori” do ideograma do sake.
– Ser a época após a finalização da colheita de arroz na qual os agricultores se deslocavam para as produtoras de sake como dekaseguis para dar início à produção da bebida.
Outro ponto interessante é que justamente nessa época, de mudança de estação para outono, no Japão, o sake fica mais saboroso depois de ficar em repouso durante o verão.
Spoon.2015_1261Para comemorar o Dia do Sake, o Azuma Trading promoveu no dia 1 de outubro um brinde a esta bebida no Izakaya Matsu. Nada melhor que um izakaya para celebrar este dia, não é mesmo.
Acompanhando o brinde, uma mesa repleta de delícias do Izakaya Matsu e do Haragichi-san (Ban), como o futomaki, inarizushi, tonkatsu, tori no karaague, tempura, entre outros.
Spoon.2015_1279
Spoon.2015_1283Além das maravilhas da Marisa Ono – pães caseiros, bacon e pastrami.
Spoon.2015_1266A preparação para a cerimônia foi muito animada, com direito carregamento de barril pela ala feminina.
Spoon.2015_1286Agora sim, o momento da abertura simbólica do barril de sake por Célio Azuma e Edson Fujioka da Azuma Trading.
Spoon.2015_1270Para brindar, o sake foi servido no masu, a caixinha quadrada.
Spoon.2015_1273Coincidentemente, o dia também é de comemoração de outras bebidas, o café e o chá. E olha só que maravilha, tivemos  a presença da especialista em cafés Noemi Cawabata nos apresentando cafés deliciosos e a especialista em chá Carla Saueressig da Loja do Chá, com o premiado Choco Chá.
Spoon.2015_1287Uma alegre confraternização, com pessoas de diversas áreas brindando o sake.
Spoon.2015_1278Não podia faltar momentos de descontração e tietagem com o árbitro do UFC Mário Yamasaki.
Spoon.2015_1285Presença da Confraria dos Gordinhos, que aliás, vem crescendo a cada dia! Kampai!!!!
Spoon.2015_1284Especial agradecimento à Azuma Trading, Haru Consultoria, Izakaya Matsu, Marisa Ono, Noemi Cawabata e Carla Saueressig pela noite especial do Sake.