Arquivo mensal: novembro 2014

Testes com produtos do 3° Encontro Gourmet – Parte 1

Hoje resolvi fazer um resumo de parte dos testes que fiz com os produtos que ganhei no Terceiro Encontro Gourmet, que aconteceu em setembro deste ano (2014). Levamos tantos produtos para testar e conhecer, que ocupava  quase a totalidade do espaço do porta malas do carro.
IMG_4861Já se passaram quase 3 meses e confesso que ainda tem muita coisa que sequer abri. Vamos aqui a um resumo de alguns itens que se destacaram.
Saladinha com Jamón Serrano e Queijo Brie empanado com panko. O Jamón e o Brie fornecido por All Foods, simplesmente um luxo!
EG3_033Macarrão veggie, com tomates cereja, abobrinha, alho e muito manjericão. A massa é a Barilla Specialità Route. Barilla sempre Top!
EG3_034Vai um destaque também para as massas congeladas do Forno de Minas, uma surpresa muito boa e prática. Todas as opções estavam maravilhosas.
EG3_035Ficou por minha conta os molhos para acompanhar. Esse é a massa Torrentino Congelado de ricota fresca, parmesão e castanha-do-pará, com meu molho bolonhesa. Delícia!
EG3_036E o Cappeletti congelado de carne com ervas de Provence, com meu molho simples de tomate, alho e manjericão.
EG3_038Para o sanduíche que preparamos com aparas de pancetta no restaurante que trabalho, colocamos a Mostarda de Dijon da Bornier e o Relish de Pepino da Companhia das Ervas. Ficou um espetáculo!
EG3_046Risoto de bacon com ovo poché, rúcula, parmesão e mais bacon! O arroz é italiano, o Riso Inverni Arborio.
EG3_042Uma entradinha feita com folhas de rúcula, parmesão e os figos caramelizados com Balsâmico Cremoso da Castelo. Normalmente se reduz o aceto balsâmico para preparar esse tipo caramelização, mas o balsâmico cremoso ajudou muito a encurtar o caminho. O resultado foi ótimo!
EG3_043E para finalizar a primeira parte das experiências e degustações, a tradicional Gelatina de Cachaça feito com o Açúcar União Doçúcar! Sucesso garantido!
EG3_039
Encontro Gourmet
Facebook
: https://www.facebook.com/EncontroGourmet?fref=ts
Website: http://encontrogourmet.com.br/

Risotos!!!

Adoro risoto, e depois do curso “Técnicas Básicas de Gastronomia” no Senac, com o professor Marcelo Angele, os risotos passaram a fazer parte do cardápio aqui de casa. Até me arriscava a fazer antes do curso, mas percebi o quanto poderia ficar melhor, e porque não, mais correto. Muitos acham que um arroz misturado com várias coisas, além de creme de leite e requeijão pode ser chamado de risoto… Só que não…
Um dos erros básicos é o tal do risoto sem firme demais, sem cremosidade. Reparem nesse risoto que preparei antes do curso, sem cremosidade. Este é de cogumelo shitake com parmesão e acompanhando os crocantes de alho-poró.
COOK.2012.01_335Alguns detalhes são importantes e não devem ser ignorados. O risoto é executado em 4 fases:

  1. Fritura
  2. Glaçagem
  3. Cozimento
  4. Mantecatura

No momento da fritura, mexe-se o arroz o tempo todo, de forma que o atrito libere amido para dar maior cremosidade. No final dessa fase, o arroz muda de cor e solta um aroma amendoado.
A glaçagem começa com a adição de caldo ao arroz, e posteriormente o vinho. Neste caso, coloca-se o caldo antes para um choque térmico, caso colocasse o vinho antes, o mesmo evaporaria rápido demais.
Em seguida vem o cozimento, adicionando-se caldo até cobrir os grãos. Mexe-se sempre, até voltar a aparecer o fundo da panela, momento em que se adiciona mais caldo. Lembrando que quanto mais se mexe, mais amido fica disponível para dar cremosidade. Quando aparece uma membrana transparente no entorno do grão, é o momento de parar a cocção, e reservar para a adição dos elementos que definirão o sabor de cada risoto.
Por fim, ocorre a finalização com a manteiga gelada, que é misturada até dissolver completamente, proporcionando brilho ao risoto.
Com o uso dessas técnicas, a mudança de cara do meu risoto. Esse é de limão siciliano. Após o cozimento acrescentei suco e zests (raspas da casca, sem a parte branca) de meio limão (para três porções generosos de risoto), além de um pouco de parmesão ralado.
COOK.2014_116Outro fiz uma releitura do famoso Carbonara. O risoto foi feito com cubinhos tostados de bacon e parmesão. Para acompanhar, ovo cozido com gema mole, bacon torrado e folhas de rúcula.
COOK.2014_111Sinta o drama… risoto cremoso e a gema escorrendo, do jeito que adoro!
COOK.2014_113E aí é só dar asas à imaginação!!! Deixo aqui o link da Receita do Risoto Base.

Curiosidade – alguém sabe porque se come massa e risoto “al dente”? Não é por puro modismo não, existe uma explicação técnica para isso. Quando a massa fica “molenga”, acaba grudando nas paredes do intestino, dando sensação de alimento pesado, tornando a digestão mais lenta.

Pequena biodiversidade através de macros

O assunto biodiversidade está em alta, mas o que é isso?
Segundo o Ministério do Meio Ambiente – “A biodiversidade é a exuberância da vida na Terra – num ciclo aparentemente interminável de vida, morte e transformação”. Ok, meio vago… Então vamos entender um pouco com pequenos exemplos em casa. Imagine uma mini horta, que nem esse que tenho em casa.
Porque essa variedade de ervinhas?
Um dos motivos, claro, ter variedade de temperos, mas tem um outro motivo, ter diversidade para que possam ter mais chance de durar um pouco mais. Se tivesse apenas um tipo de planta, como nas monoculturas que tanto conhecemos (exemplo de soja, milho, cana, laranja, etc.), se por acaso aparecesse uma praga que gosta dessa planta, concorda que perderia tudo? Seria um banquete para essa determinada praga! Então a idéia foi de ter uma hortinha cheia de variedades, pois a praga de um não necessariamente gosta da outra planta, e as vezes um bichinho que gosta de uma planta, come o bichinho que gosta de outra planta, gerando um certo equilíbrio.
Tá certo que de vez em quando perdemos uma planta ou outra, mas em geral, conseguimos manter boa parte, e isso sem usar nenhum produto artificial, não é bacana?
CasaBonfa_2012_030Na sequência vai uma série de fotos macro que tirei do meu jardim-hortinha, uma homenagem à diversidade de seres que aparecem por aqui! Olhando assim, até os bichinhos mais esquisitos ficam interessantes, né não, hehehe.
CBon_jan.11_011CBon_jan.11_006CBon_jan.11_020CBon_jan.11_024CBon_jan.11_027CBon_jan.11_031CBon_jan.11_036CBon_jan.11_040CBon_jan.11_048CBon_jan.11_059CBon_jan.11_062CBon_jan.11_068CBon_jan.11_084CBon_jan.11_086CBon_jan.11_107CBon_jan.11_112CBon_jan.11_129CBon_jan.11_146

Attimo – a união da cultura italiana com a culinária típica do interior paulista

Culinária ítalo-caipira? É a união mais do que feliz da cultura italiana com a culinária típica do interior paulista feito pelo chef Jefferson Rueda, eleito chef do ano em 2013 pela Veja Comer & Beber São Paulo.  Em 2014 continua em evidência, ficando em segundo lugar entre os restaurantes italianos. Domingo no almoço foi o nosso dia escolhido, acho que combina muito com esse tipo de cozinha, não?
Localizado na Vila Nova Conceição, seu letreiro é discretíssimo, da rua Diogo Jácome chega a ser difícil de ver o nome.
Attimo_0002Ambiente sofisticado, um pouco difícil de criar relação com a cozinha caipira…
Attimo_0006Escolhemos um lugar perto da cozinha, particularmente gosto de ver todo o movimento, a preparação, a dinâmica da cozinha. No fundo do salão a porta automática da cozinha e na lateral vidros com conservas. Logo depois de tirar esta foto, um casal sentou exatamente nesta mesa, de frente para a cozinha, interessante encontrar pessoas com interesses semelhantes, rs.
Attimo_0008A porta dá um ar de mistério, com cheios e vazios desse vidro.
Attimo_0011Começamos com comidinhas de bar com essa graciosa apresentação.
Attimo_0013Abaixo o Bife a Cavalo com crocante de cebola, parece até uma maquete, rs.
Attimo_0016O Canudinho de festa de casamento ao creme de camarão e ovas de peixe, um espetáculo de sabores e texturas. A casquinha desmancha na boca, diferente de qualquer outro canudinho duro que já experimentei.
Attimo_0017A Mini Coxinha recheada com galinha caipira e fonduta de catupiry é simplesmente perfeito. Pode ser apreciado também com um creme de catupiry e a famosa pimenta da casa.
Attimo_0021O couvert – Pães Artesanais, manteiga de azeite Maria da fé – MG, tomate moqueado, mortadela italiana e biscoito de polvilho.
Attimo_0031O Tomate moqueado, assado com ervas e defumado a frio, nos fez sentir na área rural, cheiro de mato, sabor de comidinha fresca do interior. Como uma coisa tão simples pode nos levar a uma viagem de sensações…
Attimo_0037Os pães artesanais são maravilhosos.
Attimo_0028Experimentamos todos, obviamente. As opções de pães – torresmo, italiano, integral e batata doce. Os meus preferidos foram o de torresmo (com pedacinhos de torresno na foto), e de batata doce, o pão roxo.
Attimo_0029Ainda no couvert, o espetáculo do Caldo verde. Chega à mesa um prato com pequeninos elementos, couve, mini brócolis, creme azedo e flores.
Attimo_0023Vale um vídeo para mostrar a “montagem” do prato!

O Caldo verde é uma delícia, leve, com ligeira acidez e toques de bacon.
Attimo_0026Mais um prato inesquecível que experimentamos, Ovo Caipira, Eryngui, Aspargo, Grana Padano. Em forma de ovo, a “clara” feita com espuma de fonduta de catupiry, gema mole com toque de trufa e por cima uma telha de pão.
Attimo_0039Cada colherada, um pedacinho de felicidade!
Attimo_0048A massa ficou por conta do Ravioli Surpresa de Galinha Caipira, Quiabo e Caldo do Assado.
Attimo_0049Impressiona o capricho em cada detalhe. Os raviolis são deliciosos, mas o caldo estava intenso demais para o meu paladar.
Attimo_0050Agora, essa Carne de Porco à Moda Caipira em Cinco Versões: medalhão com bacon, linguiça da casa, pancetta, codeguim e leitão crocante, é de comer de joelhos! À primeira vista parece um prato bastante pesado, mas surpreennde pela leveza e equilíbrio. Os embutidos, não são salgados como eu imaginava, mas sim aromáticos, adorei!
Attimo_0059Para finalizar, o premiado Pavê de Romeu e Julieta, meu deus, que coisa mais maravilhosa em todos os sentidos! Um perfeito exemplo de como uma fruta tão “popular” chega a um nível tão alto de sofisticação. Creme de catupiry, pão de ló, goiaba em seis texturas (fresca, suco, goiabada, goiabada cremosa, sorbet e telha). São vários tons de goiaba em perfeita harmonia!!
Attimo_0066Um cafezinho para fechar o maravilhoso almoço.
Attimo_0070Adoro quando pedimos um simples café e chegam esses mimos… Queijo, doce de abacaxi, broa e chocolate.
Attimo_0071Antes de conhecer o Attimo, ouvi comentários de que os temperos são fortes demais, podendo desagradar paladares mais sensíveis como dos japoneses. Concordo apenas em parte, e lembro que há opções maravilhosas com sabores menos intensos. A sobremesa é um show à parte com as criações da confeiteira Saiko Izawa! Já combinamos de retornar para experimentar todas as sobremesas, rs.

Restaurante Attimo
Website: http://www.attimorestaurante.com.br/
Endereço: Rua Diogo Jácome, 341, Vila Nova Conceição, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 2339-3250 / 5054-9999.
Horário de funcionamento:
Almoço: Terça a sexta, 12h às 15h, Sábado, 12h às 16h e Domingos 12:30h às 17h
Jantar: Terça à quinta, 19:30h às 23:30h, Quinta à sábado 19:30 às 24h.

Mini churros para alegrar a tarde de domingo

Quem não gosta de churros? Eu adoooooro! Aqui no Brasil se costuma colocar tudo quanto é recheio e agora está a moda de acrescentar coberturas. Já nem são servidos em pé, mas deitados, para poder comportar tanta gordice, hehehe.
churros-tentacao-esta-no-butantan-food-park-e-na-feirinha-gastronomica-jardim-das-perdizes-em-sao-paulo-1414012469002_615x470Fonte: http://guia.uol.com.br

Eu particularmente prefiro as versões mais simples, só com açúcar e canela mesmo. No máximo um chocolate quente acompanhando em dias frios. Preparar churros é bem simples, deixo aqui o link para a Receita de Churros do Jamie Oliver, que gosto muito. Basicamente mistura-se a água e a manteiga, juntando os ingredientes secos assim que ferve formando uma massa relativamente firme.
COOK.2014_124Quando amornar, acrescenta-se o ovo batido, obtendo uma massa menos firme, que pode ser colocado no aparelho de fazer churros ou saco de confeitar.
COOK.2014_125Para fritar, as receitas indicam a imersão, mas como eu faço frituras raras vezes, prefiro usar menos óleo e ir virando.
COOK.2014_126E por fim, depois de secar no papel toalha, polvilho com a mistura de açúcar e canela. Aqui na foto deixei uma bolinha, isso mesmo. Em algumas receitas, sugerem que façam bolinhas ou formas irregulares para quem não possui aparelho de fazer churros. Vou ser sincera, não fica a mesma coisa, fica mais massudo. Perde a leveza proporcionada pelas ranhuras externas.
COOK.2014_128Hoje testei esse meu novo brinquedinho de fazer churros, deixa até o buraquinho para poder colocar recheio, mas confesso que não achei top, ficou meio grosseiro.
COOK.2014_132Ainda prefiro a versão que fiz com o saco de confeitar e seu bico. Ficou muito leve, também por ter ficado bem mais fino, sem possibilidade de colocar recheio. Mas isso podia ser resolvido com a opção de mergulhá-lo em doces de leite e afins. O problema é que a massa é um pouco firme demais  e acabava arrebentando o saco de confeitar. Deixo aqui o registro do churros que para mim ficou melhor!!
COOK.2013_345

I° Fermentando A Queijaria

Aconteceu nos dias 15 e 16 deste mês o I° Fermentando A Queijaria, um evento com palestras/degustação, galpão com stands harmonizados com cervejas e queijos, bola de búfala ao vivo e pão na hora.
O evento ocorreu em dois pontos simultaneamente, próximos um do outro na Vila Madalena. Uma parte do evento ocorreu no galpão próximo à sede de A Queijaria.
Spoon_AG_2014_654Já na primeira barraca do evento ficamos presas um bom tempo, queijos maravilhosos, um atrás do outro. Imaginem uma ricota macia, não que nem esses esfarelentos e secos de supermercados, ainda mais com lúpulo! Espetacular!! E a muçarela de búfala? E o queijo fresco com uma textura incrível… Difícil resistir a tantas tentações…
Spoon_AG_2014_656Em todas as barracas estavam disponíveis harmonizações dos queijos com cervejas. As barracas estavam divididas nas seguintes modalidades:
– Stand Refrescante – Queijos Frescos e Suaves (Marajó, Crema de Búfala, Primonato, Santinho, Coalhada Sta Paula, Coalho / CE, Ricota com Lúpulo, Bolinha e Frescal).
– Stand Levemente Amargas – Queijos levemente Amanteigados e Semi Duros (Araxá, Chumbinho, Requeijão Pernambucano, Coalho com Pimenta / CE, Bandeirante, Laranjal).
– Stand Amargas – Queijos intensos, Amanteigado e Salgados (Campo Redondo, Catauá, Canastra Zé Mario, Serra do Salitre, Tropeiro, Cambirela, Giramundo, Simental, Serrano).
– Stand Aromáticas – Queijos Condimentados e Temperados (Flor de Mandacaru, Nova Era, Casa Branca).
– Stand Tostadas & Maltadas – Queijos Intensos, Notas de Leite e Fungo; Queijos Amanteigados, Semi Duros e Méis (Bom Retiro, Mandioquinha, Manezinho, Alvorada, Morro Agudo, Dionisio, Arupiara Vinho).
Era possível também adquirir kits de degustação com três tipos de queijos a R$ 15,00.
Spoon_AG_2014_664No mesmo galpão, acompanhamos a apresentação da finalização da muçarela de búfala. Nem preciso comentar que parou tudo para o “show”, rs.
Spoon_AG_2014_671Testando o ponto do queijo…
Spoon_AG_2014_676Formando as bolotas…
Spoon_AG_2014_693O corte do queijo pronto.
Spoon_AG_2014_694E claro, a hora da degustação! Vejam a textura… O sabor é inesquecível.
Spoon_AG_2014_695Na sede de A Queijaria, na Rua Aspicuelta, 35, aconteciam as palestras pagas e a venda de produtos.
Spoon_AG_2014_702As palestras tratavam de assuntos bastante variados.
IFermentandoAQueijariaFonte: A Queijaria
Queijos artesanais.
Spoon_AG_2014_699Mais queijos…
Spoon_AG_2014_700Queijos e acessórios…
Spoon_AG_2014_701Outros produtos disponíveis como mel, embutidos, vinhos, pimentas…
Spoon_AG_2014_697Para quem quiser conhecer mais esse lindo trabalho e experimentar essas delícias, A Queijaria funciona de segunda a sábado, das 9h às 20h, e domingo das 11h às 17h.

A Queijaria
Website: http://www.aqueijaria.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/aqueijaria?fref=ts
Endereço: Rua Aspicuelta, 35, Vila Madalena, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 3812-6449.

I Fermentando A Queijaria – evento
Data: 15 e 16/11 – 12h às 20h.
Endereço:  Aulas na A Queijaria – Rua Aspicuelta, 35; galpão na Rua Medeiros de Albuquerque, 256 – V. Madalena.
Telefone: (11) 3812-6449
.

Clos – uma experiência sensorial inesquecível

Clos, um restaurante charmoso na Vila Nova Conceição foi uma de minhas grandes surpresas deste ano.
Clos_0002O espaço que mais gostamos foi junto à parede com pé direito duplo.
Clos_0015bPara conhecer melhor o estabelecimento, fomos de “Menu Autoral”, e deixamos a seleção por conta do chef Juca Duarte, destacando-se como um dos três primeiros chefs revelação pela Veja Comer & Beber 2014.
Clos_0025Começamos com o couvert, Gazpachito, azeitonas, pães artesanais, manteiga especial e conserva de legumes caseira. Os pães (de azeitonas, cereais, leite) não estão na foto, mas são ótimos.
Clos_0019Tudo maravilhoso, mas a manteiga temperada com castanha-do-pará e amburana, é algo fora do comum. Sim, de tão delicioso comi puro também, e a vontade era de pedir mais para levar para casa, rs. Com um começo desses, a noite prometia!
Clos_0020A degustação começou com Croquetas de Galinha Caipira, servidas em latinhas, aquele de sardinha, sabe? Muito fofo.
Clos_0027bCasquinha crocante e por dentro, recheio de galinha caipira cremoso, gostinho de quero mais.
Clos_0028bA Ostra fresca de Santa Catarina com brunoise de maçã verde e sorvete de pepino foi uma grande viagem, no bom sentido. Sobre um prato que mais parecia a superfície de rochas na beira do mar, gelo, e concha com a ostra. Quando degustamos, vem um sabor intenso de mar, que parece ser realçado pela combinação dos elementos, e depois de alguns segundos, o sabor vai suavizando, deixando uma leve brisa do mar. Até parece uma onda que bate na areia, e volta lentamente… Absolutamente incrível!!!
Destaco que até a Soninha, minha grande companheira de experimentações que não curte muito ostras, adorou.
Clos_0030bAinda viajando pelo mar, Ceviche de namorado, vieira e caju, com toque do milho assado, tudo em um prato bem gelado. Até no leite de tigre vai o caju. A combinação do peixe/veira com a doçura do caju trouxe o umami, não parávamos de salivar, rs.
Clos_0032bA Salada Clos é composta de camarão rosa, manga e pupunha, vem acompanhado de um molho à base de gengibre e shoyu. A combinação: manga, camarão e molho é surpreendente, e a pupunha dá uma textura extra.
Clos_0034bEsse prato eu realmente não esperava muito, por ser salmão grelhado… Confesso que pensei, ih, salmão, coisa mais batida… Só que não… Começamos experimentando timidamente a espuma, e noooosa… Depois dessa surpresa, passou completamente a decepção pelo salmão. Vamos aos itens desse prato para que possam entender um pouco do que sentimos – Salmão fresco, espuma de bacon, confitura de tomate, praline de avelã com café Nespresso. De comer de joelhos!!! Estava tão delicioso, que tivemos que pedir um pão para aproveitar todo o molho com sucos dos elementos do prato. Senão fosse mico, juro que lamberia o prato, hehehe.
Clos_0037bDo mar passamos à terra, Tartar de pato, abacaxi, mostarda Ancienne e gema de codorna. Quando disseram que era pato, a primeira reação foi a de pensar que teria um sabor forte, mas para a minha surpresa, todos os elementos se equilibraram deixando o prato muito agradável.
Clos_0041bO Arroz de Cogumelos com perfume de Trufas, é muito confort food para mim, pensem, arroz e cogumelos para uma japonesa, hehehe. Um festival de cogumelos – shitake, shimeji, heringui, paris, portobello… fora o perfume de trufa. O arroz em si, tipo risoto, é bem leve no sal, mas quando pegamos um pedaço de cogumelo com o arroz, uma explosão de sabores!! Pitadas de sal sobre os cogumelos proporcionaram essas sensações deliciosas.
Clos_0046bO último prato é coroado com o Leitão confitado, purê de cebola caramelizada e melão na cachaça. Acompanhavam ainda um purê de cebola roxa com Grenadina e doce de abacaxi com bacon. Vale se deliciar brincando com as combinações, o leitão macio que desmancha combina deliciosamente com todos os elementos.
Clos_0050bAgora vamos à sobremesa? Quando vi chegarem com pratos e um jarro, logo pensei, vai ter surpresa!!! Gazpacho frio de morango, iogurte, gelatina de Ciroc com brioche. Singelo…
Clos_0053Mas aí chega o restante… vale o vídeo:

E finalmente, a degustação… meu deus, que delícia!!! Levemente doce com o azedinho, o que ajudou também a suavizar o paladar depois de comer o leitão. Os brioches torrados fecham com o contraste de textura.
Clos_0057Quando achamos que tínhamos chegado ao fim, mais uma surpresa, Alfajor  de doce de leite com bolinho de chuva e sorvete de coco queimado, mega confort felicidade!! E esse creme de chocolate com Baileys por baixo de tudo? Noooossa!!!
Clos_0060bEstávamos em êxtase!!
Aceitamos um chá de limão siciliano para fechar a noite, e para a nossa surpresa (de novo), acompanhamentos fofos… Suspiro com geléia de maracujá, biscoitinhos e pecã caramelizado.
Clos_0067bO menu degustação surpreende, emociona, causa inúmeras sensações… É simplesmente imperdível!!!
Agradecimentos especiais ao talentoso chef Juca Duarte por toda a experiência que nos proporcionou!!
Clos_0063bObservo também que o Clos conta com o Menu Meio Dia, que pode também ser uma forma de começar a conhecer esse delicioso restaurante.

Restaurante Clos
Website: http://closrestaurante.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/ClosRestaurante?fref=ts
Endereço: Domingos Fernandes, 548, Vila Nova Conceição, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 3045-2220.
Horário de funcionamento:
Almoço
Segunda a Sexta das 12:00 as 15:00.
Sábado das 12:00 as 16:00.
Jantar
Segunda a Quinta das 19:00 as 23:30.
Sexta e Sábado das 19:00 as 24:00.