Arquivo mensal: outubro 2014

Dando um upgrade no miojo

Sabe aquele dia que você está cansado, não tem muita coisa na geladeira, mas tem aquele pacotinho mágico que salva a vida? É… o famoso miojo, amado por uns e odiado por outros, kkkk. Comer miojo puro, realmente não gosto, mas quando incremento, aí a coisa muda de figura.
Dar um upgrade no miojo não é tão complicado, picar um pouco de repolho, cebola e cenoura já deixa até mais nutritivo, vira um prato completo. Cozinhar um ovo e deixar com gema mole então, é uma maravilha!! Sintam o drama…
COOK.2014_078Quer deixar gourmet um produto tão mal falado? kkkk. Você pode comprar as versões importadas do miojo e deixar no estoque da casa. Eu costumo comprar a versão sabor misso, pacote com 5 unidades. É um pouco mais caro em relação à versões nacionais, mas juro que vale a pena!
Sapporo-Ichiban-Instant-Bag-Miso-Ramen-Noodles-17.75-Ounce-0Outros componentes também podem ser comprados, um rosbife, cogumelos, broto de soja, broto de bambu, kamaboko, etc. E claro, a pimenta shichimi, ou até mesmo a pimenta calabresa!
Há também versões importadas, como esses que ganhei.
COOK.2014_087Aí é só usar a sua criatividade para deixar aquele miojo sem graça em um prato que parece gourmet, kkkkk. Lembrando sempre que comemos antes com os olhos!! hehehe… Esse abaixo fiz em casa.
COOK.2014_089Depois dessa imagem, vai dizer que não come miojo de jeito algum!! kkkk
Quando preparo esses miojos incrementados, costumo colocar o macarrão em água fervente (água, aproximadamente a quantidade para encher uma cumbuca grande). Assim que começar a soltar o macarrão do bloco, coloco o tempero e dou uma rápida misturada, e coloco o ovo e outros ingredientes como fatias de carne, broto de bambu, etc. Deixo cozinhar com tampa fechada por 3 minutos, e está pronto, é só servir e decorar! Outra opção é cozinhar o ovo separadamente, cortar ao meio e colocar por cima depois de pronto.
Deixo aqui algumas referências de lojas onde podem ser encontrados os produtos que citei neste post.

Loja Ohashi
Website: http://www.lojaohashi.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/LojaOhashi?fref=ts
Endereço: Av. Comendador Alberto Bonfiglioli , 687, Jardim Bonfiglioli, São Paulo, SP.
Telefones: (11) 3731-4812 / 2679-5644.

Marukai
Website: http://www.marukai.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/pages/Marukai/212770692216867?fref=ts
Endereço: Rua Galvão Bueno 34, Liberdade, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 3341-3350.
Horário de funcionamento: Seg à Dom: 08:00 – 20:00

Casa Bueno
Facebook: https://www.facebook.com/pages/Casa-Bueno/325184784265409
Endereço: Rua Galvão Bueno 48, Liberdade, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 3277-8901.
Horário de funcionamento: Seg à Sex: 08:00 – 20:00; Sáb: 07:30 – 20:00; Dom: 08:00 – 20:00.

Anúncios

Parabéns Sweet Deli Pâtisserie, parabéns Vivianne Wakuda!

Dedico este post à Vivianne Wakuda, cujo trabalho venho admirando cada dia mais. Fiz a minha primeira visita em junho deste ano (2014) com meus amigos do restaurante, depois de forte recomendação da Soninha, para variar, rsrs. Não é um lugar fácil de se ver, já que fica em uma galeria próxima ao Conjunto Nacional, mas de boca em boca a informação vai chegando.
Spoon_AG_2014_265Com os doces em estilo japonês, a primeira coisa que eu quis experimentar para tirar a prova foi o clássico choux cream. Escolhi o com cobertura de lascas de amêndoas. Dá para sentir a crocância apenas de ver a imagem!
Spoon_AG_2014_629Por dentro? De comer de joelhos. Delicado creme com toque de raspas de laranja, doçura na medida certa, pelo menos para o paladar japonês, hehe. Sim, dá para comer de monte!
Spoon_AG_2014_263Quando se fala em doces japoneses, sempre lembro também do matcha (chá verde), então esse foi outro dos nossos escolhidos. Maravilhoso!  O sabor do matcha é intenso, na medida, com aquele ligeiro e suave amargor do chá e a doçura na medida certa. Sim, sou meio crítica em relação a doces de matcha aqui no Brasil. Quando não são produzidos por japoneses, muitas vezes fica absolutamente sem personalidade, apenas verde e você se esforça muito para tentar achar o sabor do chá.
Spoon_AG_2014_259E por fim pedimos o cheesecake, aquele tradicional, assado sem cobertura, sentindo a essência do cheesecake, digamos assim, rs. Lembrei dos felizes momentos no Japão. Degustação de docinhos!!! Ah, e não está na foto, mas experimentamos também o chiffon cake, de excepcional qualidade.
Spoon_AG_2014_261Acompanho as publicações do Instagram e quando vi a imagem do bolo Floresta Negra, fiquei louca para conhecer a versão da Vivianne. Fui assim que pude e sorte a minha, apesar de já ser final do dia, consegui uma fatia! Delícia!!! Fora a elegância… rs.
Spoon_AG_2014_631Outro dia tive aquele momento de saudade do Japão, e pensei, o tradicional Short Cake!!! Estava perto de uma doceria japonesa na Liberdade e pedi, achando que iria matar a vontade… Decepção total, bolo mais sem graça possível, sabe quando o creme vem meio morno e você sente que é gordura hidrogenada? E os morangos, cadê? Foi difícil de encontrar. Nessas horas o desejo parece que dobra, e fui correndo ao Sweet Deli com a certeza de que não iria me decepcionar. Como eu esperava, não me decepcionou, ah, finalmente!!! Pronto, felicidade!!
Spoon_AG_2014_633Bem, tem ainda algumas fotos que esqueci de tirar, simplesmente devorei as delícias. Fora aqueles que levei para amigos meus, que simplesmente se encantaram!
Minha última visita foi para dar meus parabéns pessoalmente à Chef Vivianne Wakuda, sim, Confeiteiro do Ano na categoria “Os escolhidos dos Leitores”. Parabéns! Parabéns!! Parabéns!!! Que lhe traga mais inspiração ainda para continuar a criar mais e mais delícias!!
IMG_5106Gostei da descrição da Veja: “No currículo da chef confeiteira Vivianne Wakuda estão uma passagem de quase três anos na Pâtisserie Douce France, no Jardim Paulista, e outra mais breve no restaurante Las Chicas, em Pinheiros. Para compor o interessante cardápio desta doceria, pesou também sua experiência no Japão, na província de Fukui, em 2008. Lá, ela aperfeiço ou a técnica para fazer doces de acabamento primoroso e com quantidade de açúcar bem comedida.” (VEJA, set/out 2014)
Nesse dia, comecei com o macaron de baunilha, que estava delicioso. Olha que graça!
Spoon_AG_2014_624Quero dar um mega destaque a esse mil folhas, já está na lista de meus preferidos. É o melhor que já comi até hoje! Poderia comer quilos desse maravilhoso doce. Mil folhas extremamente crocante, sequinhas e que desmancham na boca. Creme igualmente delicioso, tudo muito equilibrado. A boa é que para o Natal serão produzidos em tamanhos família, dá para resistir? Olha, se não fosse o último pedaço do dia, teria comido muito, muito mais, hehehe.
Spoon_AG_2014_623Se você nunca foi ao Sweet Deli Pâtisserie, vá! Além dos incríveis pedaços de felicidade, ainda existem os salgados, que ainda não experimentei. As meninas que atendem no balcão são pura simpatia também, o que deixa a experiência melhor ainda.
Spoon_AG_2014_257Chef Vivianne, parabéns pelo trabalho, pela humildade, pela garra, pelo talento! Sucesso sempre!!!
Spoon_AG_2014_627Sweet Deli Pâtisserie

Facebook: https://www.facebook.com/sweet.deli.paulista
Endereço: Galeria 2001, Avenida Paulista, 2001, Loja 4, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 3287-9760.
Horário de funcionamento: Seg à Sex: 08:30 – 19:30.

Introdução aos Shochus no Izakaya Issa

Tem coisa melhor que relaxar no Izakaya Issa para começar o tão esperado fim de semana de descanso? Fui para lá direto do trabalho e encontrei a minha irmã e o namorado dela lá. Como de costume, cheguei no abre, às 18:30 e enquanto esperava tive que pedir uma cervejinha gelada para me refrescar do calor insuportável de São Paulo e beliscar uns Otoshis, já que estava morrendo de fome. Hoje experimentei de novidade, o warabi, broto de samambaia, um produto que só aparece nas mesas em determinadas épocas do ano. Lembro que nem queria experimentar na infância, e hoje pude não só experimentar, mas adorar! Os outros três já apresentei, e simplesmente adoro, a berinjela, as conchinhas e a cebolinha com molho de wasabi.
Spoon_AG_2014_608Ahá, e hoje tem gobô (raiz de bardana) graúdo em longo cozimento, aproximadamente 3 horas, que delícia! Como a Soninha disse, fica ótimo para acompanhar o gohan (arroz japonês). Lógico que pedi o gohan, ainda mais com a fome que estava, hihihi. Avancei tão rápido que quase não deu tempo para a foto, rsrs.
Spoon_AG_2014_609Chegaram os dois e pedimos mais uma rodada de otoshis. Kimpira gobô, renkon (raiz de Lótus), mexilhões e sunomono com lulas. Todos, obviamente deliciosos.
Spoon_AG_2014_610Pronto, agora pode vir o rango!! hehehe. Okonomiyaki!! Aliás, O MELHOR OKONOMIYAKI DA CIDADE!! Sim, passei a semana inteira com vontade, devido a certas pessoas que ficam postando a foto DESSE okonomiyaki… Né não Toshi Akuta e Sonia???? rsrs.
Spoon_AG_2014_611Ah, merece até um vídeo com a dança do katsuobushi (finas lascas de bonito).

Depois de nos refrescar com cervejas, começamos os sakês. Um seco e outro suave, refrescância do seco que combina com tudo e o outro, que combinou bem com o meu okonomiyaki.
Spoon_AG_2014_613Ainda com fome, que venha o tonkatsu!
Spoon_AG_2014_614Nisso, os dois estavam olhando as garrafas de shochu nas prateleiras e lembrei que não tínhamos experimentado ainda essa categoria, então resolvemos dar o primeiro mergulho neste novo mundo! Diferentemente do sakê, que é fermentado, o shochu é destilado.
Segundo Adega do SakeDiferente do Sake que é uma bebida somente Fermentada, o Shochu é uma bebida Destilada. Jovem, com apenas 7 séculos de história para contar, hoje o shochu já ultrapassou o consumo entre os japoneses. Mas o seu começo não foi muito bem aceito, chamado de “Bebida de 2º Linha”. Muitos reclamavam do seu aroma muito forte, muito alcoólico e técnicas bastante precárias. Mas com o intercâmbio de produtores britânicos (uísque), descobriram que o nível da temperatura na destilação estava errada. Retornando ao Japão e também adquirindo as máquinas das destilarias, chegaram à um ponto que mudará o aspecto no aroma e no sabor. Depois disso, como se tirasse um coágulo, a demanda fluir de uma forma que hoje se encontra mais shochus nos restaurantes, que saquê.”
Começamos com o Kannoko, de cevada, vem um fundinho de whisky, noooossa, por essa não esperava. E o design dessa garrafa, muito legal!
Spoon_AG_2014_615Em seguida, Kanehachi, de cevada também, esse foi bem engraçado, no final vinha um gosto de peruá, aquele milho que não estoura quando fazemos pipoca, hehehe.
Spoon_AG_2014_616Agora, a garrafa que chamou a atenção, Iichiko, de cevada.
Spoon_AG_2014_617Agora, um mimo da Soninha, Sato do Akebono, simplesmente uma das coisas mais incríveis que já experimentei, tipo o meu primeiro amor dos shochus!!! hahahaha. Ah, um “abraço” desses todas as noites antes de dormir seria o máximo! kkkk
Spoon_AG_2014_618Bem, como diria a Soninha “o nível do álcool é proporcional ao foco da foto!”… é… sem comentários, kkkkkk.
Spoon_AG_2014_619Para finalizar, pedimos um shochu de batata-doce, com aquele fundinho de vodka, mais uma surpresa. Acho que era o Kuromaru, mas a esta altura, juro que estava ficando difícil de memorizar e lembrar de tirar fotos. No final, foi muito interessante e, porque não, surpreendente, bebidas alcoólicas japonesas que lembram whisky e vodka! Juro que passei a admirar esta bebida.
Fechando a noite, sakês premium e super premium, de produtores regionais do Japão, maravilhosos!
Spoon_AG_2014_622A experiência dessa noite com shochus foi tão maravilhosa, que logo pensei, preciso trazer algumas pessoas para passar por isso também, não é mesmo Ivone?
Tá, tá, tá… já estava para lá de alegre, ok, confesso… aí vem aqueles momentos de bobeira geral, então vai a foto para fechar a noite, nabo com formato de bundinha de porco com rabicó, hehehehe… Sério, estavam com dó de usar ou jogar fora, hahahahaha…
Spoon_AG_2014_621Izakaya Issa
Endereço: Rua Barão de Iguape, 89, Liberdade, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 3208-8819
Horário de funcionamento:
Seg. à Sáb.: 18h30 – 23h30;  Dom.: 18h – 23h.

Haru Consultoria – Sonia Yuki Yamane
Facebook: https://www.facebook.com/haru.consultoria?fref=ts

Adega do Sake
Website: http://www.adegadesake.com.br/

Então fomos conhecer o Mitsuru do Post de Marcelo Katsuki

O post do Marcelo Katsuki na Folha de São Paulo – Festival de sushi na Vila Leopoldina – falava tão bem do restaurante Mitsuru, que fomos conhecer. Sinceramente, não curto rodízios de sushis, mas pela empolgação da matéria, fiquei curiosa. Localizado perto do Ceagesp, para mim, era um ponto a se considerar, associando à idéia de peixes frescos. O local é bem simples mesmo, como o Katsuki descreve, de noite tem um aspecto um tanto quanto esquisito, mas como já havia lido o post, fui na confiança.
Spoon_AG_2014_589Aviso que as fotos que virão a seguir estão todas com luz vermelha por conta do ambiente. A outra opção de luz era esverdeado, o que faria perder a apetite. Sério, porque? Odeio não conseguir enxergar direito o que estou comendo, fora que mascara a cor verdadeira, como no caso do atum. Juro que dei uma bela clareada nas fotos usando o Photoshop, mas não consegui fazer milagres.
Para o festival, existem duas opções, o de R$ 46,90 – sashimi, shimeji, temaki, gyosa, yakissoba, sushi, harumaki, tempurá, anchova, salmão, sobremesa – sendo o mais simples, e o do Chef, com acréscimo de polvo, lula, camarão, ovas e iguarias, por R$ 60,00. Fomos na segunda opção. Inicialmente nos questionam o que podem mandar, e já pedimos para excluir coisas que realmente não gostamos ou não fazemos a mínima questão, como yakissoba, harumaki, grelhados, temakis e bizarrices como cream cheese e frutas.
Como é de se esperar em rodízios, inicialmente somos “metralhados” com vários pratos… a começar com os tradicionais shimeji e gyoza. O shimeji estava no ponto, mas um pouco sem sal e sem muita personalidade, mas ok. O gyoza, estilo ocidental, frito como pastel, o que não gosto, mas o recheio estava bem bom, um ponto positivo…Spoon_AG_2014_592O que chamam de carpaccio de salmão, o que de “carpaccio” não tem nada, mas vamos deixar de lado o meu lado chato para terminologias, e voltemos ao prato, estava ok, estilo ocidental também.
Spoon_AG_2014_595Vamos aos tempurás, primeiro veio de frutos do mar… um camarão, um pouco mais de lula e monte de salmão. Salmão dispenso, obrigada… os outros dois estavam bons, a massa macia e levemente crocante. Diria, diferente dos tempurás que costumo comer, mais massudo. O molho que acompanha dava um toque a mais.
Spoon_AG_2014_596Pedi o de legumes, aí decepcionou um bocado… tudo parecia igual, difícil de identificar o que cada um era. Dei uma mordida no primeiro, era pimentão verde, éca, acabei não comendo… Não curti mesmo. O de berinjela, apesar de todo cortado em forma de leque, não faz diferença alguma, sendo apresentado desta forma, uma massa de bloco retangular, enfim, nem quis continuar… Acho que ao invés de pimentão, poderiam utilizar outras coisas baratas como cenoura, couve flor, brócolis, o próprio shimeji, folhas de cenoura, enfim… opções que acho mais saborosas, além de dar um visual diferenciado, ao invés de um monte de retângulos de sabores surpresa.
Spoon_AG_2014_601As lulas estavam ótimas, aqui um ponto forte. Extremamente macias e carnudas, sabor equilibrado e apresentação interessante.
Spoon_AG_2014_597Finalmente, os sushis e sashimis, o que mais estávamos aguardando. Olhei, olhei, cadê os diferenciais do Festival do Chef? Confesso que fiquei mega decepcionada… Ainda mais com jyos, couve manteiga, salmon skin, califórnia… Muita variação estranha em cima só do salmão… Mas  o camarão estava no ponto, ponto positivo. O arroz é à la rodízio, meio empapado, e bolinhos massudos, mas realmente não se pode esperar o uso de Tamakis da vida, nem de técnicas mais apuradas no preparo do arroz, isso já esperava.
Spoon_AG_2014_598O garçon avisou que o polvo estava em falta, fiquei arrasada, queria ver o ponto de preparo, fora que realmente gosto de polvo. Mas depois de um tempo, o sushiman nos mandou um prato com algumas tiras do final da pata de polvo, explicando que quase não tinha. Fiquei contente pela consideração. Ponta de pata não é top, estava levemente borrachudo, mas valeu a intenção, fora que aliviou um pouco a minha vontade por polvo.
Spoon_AG_2014_602Como havia pedido anteriormente algo diferente para substituir a falta de polvo, nos foi trazido o jyo de salmão com gema de ovo de codorna, levemente maçaricado. Na foto do Marcelo Katsuki, era uma das coisas que estava com vontade de experimentar. Visualmente até que ficou bonitinho, mas não acho que tenha harmonizado os sabores.
Spoon_AG_2014_603Perguntei se tinha ovas de salmão, também não tinha. Acho que o sushiman teve a sensibilidade de perceber que eu não estava lá muito satisfeita a esta altura, porque do nada, nos trouxe sushis de vieiras peruanas. Por essa eu realmente não esperava, baita surpresa. A vieira estava deliciosa, tanto no sabor quanto na textura, e o melhor, nunca havia experimentado vieiras peruanas, aí sim!
Spoon_AG_2014_604Para terminar, as sobremesas, eram três, sorvete, creme de papaya com cassis e banana flambada, escolhemos os dois últimos. Simples, mas que para um rodízio, tava bom demais.
Spoon_AG_2014_605Spoon_AG_2014_606Aqui, preciso deixar bem claro, que fiquei muito chata para comidinhas japonesas, mesmo por conta do meu trabalho e por minha busca de referências. Rodízios? Tenho horror, mas considero que possa ser uma alternativa interessante quando juntamos uma turma grande para curtir, sem pretensão alguma, gastronomicamente falando. O custo benefício deste estabelecimento considero bom, os pratos estão no nível acima de alguns rodízios que já experimentei.
Conversamos um pouco com o sushiman e disse que o público deles gostam muito de peixes como salmão e prego, sendo difícil de sair dessas opções. Bastante compreensível.
Apesar dos altos e baixos culinários, saí satisfeita pelo ótimo atendimento de todos os funcionários e a atenção do sushiman. Todos muito simpáticos e cordiais. Muito obrigada a toda a equipe do Mitsuru Sushi.
Spoon_AG_2014_607
Mitsuru Sushi
Facebook: https://www.facebook.com/mitsurusushi
Endereço: Rua Carlos Weber, 1023, Vila Leopoldina, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 2538-2346.
Horário de funcionamento:Ter – Sex: 11:30 – 14:30, 19:00 – 23:00; Sáb: 12:00 – 16:00, 19:00 – 23:00; Dom: 12:00 – 16:00.

Shin Zushi, simplesmente imperdível!

Shin Zushi é um dos restaurantes que mais queria conhecer, e pelos comentários sobre preços altos, acabei adiando esta visita. Acho que o pior disso é descobrir que não tem nada de absurdo, ainda mais pela qualidade do que é servido. Nem acredito que perdi todo esse tempo sem conhecer as delícias do Shin Zushi…. rs.
Fizemos a reserva para domingo de noite, obviamente no balcão. Para mim, o balcão, ainda mais em restaurantes japoneses, costuma ser o melhor lugar, e neste post vou convencer muita gente a buscar os balcões! hehehe. Reservamos para às 19:30 e depois de uns 30 minutos, o balcão já estava tomado.
Spoon_AG_2014_550Fui com intenção de comer o lamen deles, muito bem recomendado. Mas sabendo da fama dos sushis do Ken san, tive que pedir uma dupla. Pedi para o Ken o osusume, isto é, o que ele me recomendava. Lembro aqui o post “Tirashi no Sushi Guen – em Tour de Tirashis“, na qual comento que um sushiman com mínimo de bom senso, ao ser questionado quais peixes estão frescos, obviamente responderia que todos, afinal de contas, se selecionasse esse ou aquele, o resto não seria fresco, certo? O correto mesmo é solicitar a recomendação, o que no fundo será um produto que conseguiu a duras custas, peixes da estação, etc.
Então o Ken me recomendou o Torô (atum gordo). Incrível!!! Tudo no maior equilíbrio, o peixe que derrete na boca, o shoyu pincelado por cima, o arroz na textura, sabor e temperatura impecável… bocadas de felicidade!!
Spoon_AG_2014_551Estava tão maravilhoso, que acabei pedindo um segundo osusume, e ele me indicou a sardinha. Sim, sardinha!!! Sei que muita gente não gosta e acha que é um peixe barato, sem glamour algum, mas experimentem esse sushi e juro que mudarão completamente de idéia! Apesar de ser um peixe realmente barato e marginalizado muitas vezes, para o sushi ele é trabalhado de forma especial, e para chegar nesse ponto, deve-se levar em conta a mão de obra, técnica e insumos, assim, duvido que ainda pense que é um absurdo pagar o mesmo que vários outros peixes mais caros. Esse aqui estava simplesmente espetacular, com certeza o melhor que já comi até agora. Tudo perfeito, tudo mesmo!
Spoon_AG_2014_552Com certeza preciso voltar para experimentar mais sushis! Mas hoje eu realmente queria conhecer o lamen deles, considerando que em São Paulo os lamens deixam muito a desejar, comparando-se a padrões japoneses. Então vamos lá, que venha o Karashi Misso Lamen!
Spoon_AG_2014_560Uoooooooooooooow, finalmente!! Como a minha irmã comentou, nossa, que nem o lamen do Japão!!! Caldo potente, com personalidade, que aquece até a sua alma. Me senti em um lamen-ya no Japão, adoro essa sensação…
Não paramos por aí, ainda solicitamos o osusume de um sakê, e nos indicou o Ichinokura Mukansa Honjoso Karakuchi. Muito bom mesmo, harmonizando perfeitamente com o cogumelo Heringi que nos serviu.
Spoon_AG_2014_556Além de tudo isso, preciso comentar um detalhe muito interessante, minha irmã e o namorado dela pediram combinados de sushi. Se estivessem sentados em uma mesa, receberiam um prato com tudo lá, potinhos para shoyu e tals. No entanto, sentados no balcão puderam ter uma experiência diferenciada. Os sushis vieram um a um, com arroz levemente morno, pincelados com shoyu, sendo necessário apenas pegar o sushi com a mão e comer. Nada de estraçalhar o sushi com hashis e coisas do tipo. Me parece mais natural, mais harmônico…
Claro, não podia deixar de fora a equipe fantástica e muito divertida!!! Bem, acho que convenci… não? kkkk. Gotisousamadeshita!!!
Spoon_AG_2014_559
Shin Zushi
Website: http://www.shin-zushi.com/
Endereço: Rua Afonso de Freitas, 169, Paraíso, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 3889-8700.
Horário de funcionamento: Ter. a Sáb.: 11h30  14h e 18h  22h30;  Seg.: fechado;  Dom.: 18h- 22h.

 

Zucco! Comemorando a pós-graduação da Cida

Dia muito especial, comemoração do fim da pós da Cida, querida amiga da academia que eu frequentava. Essa conquista deve ser comemorada, e muito bem comemorada, não é, minha gente? rs.
Spoon_AG_2014_549-PatiA escolha da nossa anfitriã, Pati, foi o restaurante Zucco, do Shopping Morumbi, gastronomia italiana em ambiente moderno.
Spoon_AG_2014_547-PatiQuando soube onde seria o local, como não conhecia, resolvi pesquisar primeiro. Um site elegante, apesar de algumas questões de navegabilidade, e fotos absolutamente tentadoras. Considerando um meio de divulgação bem feita, levo em consideração que as fotos de destaque geralmente são as dos pratos chaves da casa. Seguindo esta pista e alguns sites com opiniões de clientes, acabei escolhendo o meu prato já antes de chegar ao local, hehe… que nerd! huahuahuah.
O couvert estava ótimo, pena que esqueci de tirar uma foto – focaccia, ciabata, grissini, crostatina, manteiga e patê. De cortesia, nos trouxeram essa massa de pizza com recheio de queijo. Estava divina!
Spoon_AG_2014_535A maioria foi na massa, Ravioli alla caprese (Massa recheada com mussarela de búfala ao molho de tomates frescos), muito bem feita. A Mika foi em uma das opções que fiquei tentada, Risotto alla milanese con coda di manzo (Risoto de açafrão com ragu de rabada, coroado com pequenas folhas de agrião), excelente opção também, o ragu estava maravilhoso com o vinho e o açafrão bem equilibrado no risoto.
Spoon_AG_2014_541Eu já fui em um dos pratos mais recomendados, não podia perder esta oportunidade de ganhar mais uma excelente referência gastronômica, né! Lombata di vitellone al tartufo nero e rosso d’uovo (Corte especial de filé mignon com gema de ovo, e molho de trufas negras acompanhado com risoto ao funghi com queijo brie). Simplesmente divino!!! De comer de joelhos… Fora o visual e o ritual de servir o risoto que vem logo na sequência, numa panelinha super charmosa.
Spoon_AG_2014_536Esse prato merece um mega destaque, agora um close… rs. Vem comigo!
Spoon_AG_2014_537Sim, a carne estava no ponto!
Spoon_AG_2014_538A combinação da carne com o a gema cremosa e a trufa negra, minha nossa senhora… estou passando mal só de lembrar, hehe.
Spoon_AG_2014_539E aí meninas fitness, estava ótimo, não? A comemoração da Cida, a comida, as boas risadas… A alegria diz tuuuudo!
Spoon_AG_2014_548-PatiPara fechar o jantar, um belo cafezinho e docinhos maravilhosos para acompanhar. Do começo ao fim o serviço foi impecável e as comidinhas então, nem se fala. Adoramos o restaurante, merece vários retornos para experimentar as tentações do cardápio.
Spoon_AG_2014_542Cida, parabéns por mais essa conquista! Sucesso sempre!!! E conte sempre com o apoio de seus amigos.
Spoon_AG_2014_544-Pati
Restaurante Zucco
Website: http://zucco.com.br/#1
Endereço: Av. Roque Petroni Júnior, 1.089 – nº20, Nível Lazer, Morumbi, São Paulo
Telefone: (11) 5181.1092.
Horário de funcionamento:Seg – Qui: 12:00 – 00:30; Sex – Sáb: 12:00 – 01:30;Dom: 12:00 – 00:00.

Unidade Jardins: Rua Haddock Lobo, 1416,  São Paulo. Telefone: (11) 3897.0666

Feliz Aniversário Haru Consultoria!!!

Chega a primevera e junto vem o aniversário do Haru Consultoria, especializada em sakês, da sakê sommelier Sônia Yuki Yamane.
Tem uma descrição que achei bem bacana do Haru Consultoria: “O consumo de sake tem crescido ano a ano, mas as informações sobre a bebida ainda são escassas. A cultura japonesa já está agregada à brasileira há pouco mais de 100 anos, mas os costumes, tradições e cultura são ainda pouco conhecidas, reconhecidas ou compreendidas pelos brasileiros.
A Haru Consultoria busca transmitir estas informações de diversas formas:
• Degustações em restaurantes, izakayas, temakerias, etc;
• Treinamentos para brigadas sobre sake que compõem a carta dos estabelecimentos;
• Cursos livres de curta duração para conhecimento básico sobre a bebida e atividades circundantes;
•Organização de eventos com degustação da bebida e explicação básica em feiras, congressos, festas particulares, etc.” (trecho da página de Facebook: https://www.facebook.com/haru.consultoria/about?section=bio)
Então, bóra comemorar, e nada mais apropriado que o Izakaya Issa para isso! Coincidentemente, o dia 1 de Outubro, dia anterior, é o dia do sakê, comemoração em dobro!
Para começar, os deliciosos otoshis da D. Margarida.
Spoon_AG_2014_518Hm, essa foi novidade para mim, adoooro conchinhas! Essas estavam maravilhosas!!
Spoon_AG_2014_519Nassubi dashi, berinjelas preparadas desta forma são viciantes.
Spoon_AG_2014_520Não poderia faltar o kimpira gobô…
Spoon_AG_2014_521Meu novo vício, cebolinha branqueado com molho à base de wassabi, hmmmm. Sério, parece esquisito à primeira vista, mas é uma bela surpresa!
Spoon_AG_2014_522E por fim, nambanzuke, outra delícia, que lembra um pouco a infância.
Spoon_AG_2014_525Ah, claro, os sakês, começando mais uma vez, uma incrível degustação! Da direita para esquerda:
Hakkaissa – honjoso (com álcool etílico). Esse vai com tudo, bem coringa.
Mikotsuru – junmai. Começa o sabor mais marcante de arroz, afinal de contas, daqui para frente vêm os sakês com o álcool do próprio arroz.
Zaku – junmai ginjo premium. Muito aromático, perfume delicioso, mas sinto que se beber muito sentirei um leve enjoo por marcar demais.
Spoon_AG_2014_523E ainda tem um quarto que entrou na parada, Kid, um junmai dai ginjo. Esse foi um de meus preferidos, pensando bem, o meu preferido! hehehe. Mas as outras, como um honjoso, são bem interessantes também, pois podem ter outras funções como contraponto, ou mesmo para simplesmente limpar o paladar.
Aeeeeee, e aqui a Soninha, responsável pela Haru Consultoria, minha mentora em sakês e também aniversariante recente! Ai ai, tanta coisa para comemorar!!!
Spoon_AG_2014_528Hoje resolvi experimentar o Sara Udon, um prato que ainda não conhecia. Uma delícia, um ótimo confort food! Aqui foi bem interessante, fui experimentando com os sakês, e acompanhado do honjoso, vai tranquilo, mas os outros me causou confusão, e depois cheguei à conclusão de que dependendo do ingrediente que acompanhava (frutos do mar, verduras, etc.), a reação era diferente, portanto achei difícil de harmonizar com o prato como um todo. Gentens, que divertido!!!!
Spoon_AG_2014_531E quando achei que as surpresas tinham terminado, a Soninha me apresenta 3 sobremesas com sakês, meo deos!!! Começamos com um tipo de granizado com frutas vermelhas. Estava absolutamente harmônico na potência do sakê, na doçura e as frutas.
Spoon_AG_2014_532Depois a versão melhorada do sorbet de grapefruit, que estava um desbunde e de iogurte. Juro que juntos paracia um cheesecake, delícia!!
Spoon_AG_2014_534E por fim, sorvete cremoso de limão, fechando a noite com chave de ouro!
Spoon_AG_2014_533Um parabéns mega hiper master blaster gigante à Soninha, ao Haru Consultoria, e uma muito obrigada de coração por mais uma experiência inesquecível!!! E kampai!!! Sake Day, yeah!!!

Haru Consultoria
Facebook: https://www.facebook.com/haru.consultoria?fref=ts

Izakaya Issa
Endereço: Rua Barão de Iguape, 89, Liberdade, São Paulo, SP.
Telefone: (11) 3208-8819
Horário de funcionamento:
Seg. à Sáb.: 18h30 – 23h30;  Dom.: 18h – 23h.