Arquivo mensal: setembro 2013

Feirinha Gastronômica

Seguindo a moda dos eventos gastronômicos ao ar livre, surge em 17 de fevereiro de 2013 a Feirinha Gastronômica, uma  iniciativa da chef Daniela Narciso e do produtor cultural Maurício Schuartz, organizadores do Chefs na Rua, que trazem a filosofia da boa comida a céu aberto para o final de semana. O evento ocorre todos os domingos das 11h às 19h, inicialmente contando com 20 cozinheiros, atualmente conta com 30 barracas com chefs, estudantes, inventores, curiosidades e produtos que representam a diversidade gastronômica de São Paulo. O evento que ocorria na Rua Girassol, 309, Vila Madalena, em um estacionamento privado, passou para o Espaço Qualquer Coisa, número 85 da Praça Benedito Calixto, na região de Pinheiros.

Confesso que não consegui ir à Feirinha no primeiro endereço, ainda no começo do evento. Longuíssima fila e espaço muito apertado. Acabamos desistindo. Com a mudança de endereço, parecia que o espaço era um pouco maior (pode ser impressão, rs) e resolvemos tentar novamente. A fila no horário que fomos, em torno de 15h, estava relativamente curta e estava andando bem. Segundo alguns visitantes, mais próximo do horário do almoço a fila virava a esquina.

Spoon_FG_001Na entrada carimbam a sua mão para que possa sair e voltar sem precisar pegar fila novamente. Um solução interessante, considerando que não há espaço para sentar e comer à vontade. Dentro é uma muvuca, como uma feira mesmo, esbarrões o tempo todo e difícil de comer sem ser incomodado.

Spoon_FG_003Experimentamos alguns pratos, o primeiro foi um sanduíche de pernil suíno assado, com cebola caramelizada e redução de vinho do porto na Ciabatta (R$ 15,00), do Europea, estava bem saboroso.

Spoon_FG_009

Na barraca do Portal da Coréia, experimentamos o Teokpokki (R$ 10), massa de arroz com pasta de pimenta gochujang, massa de peixe e ovo cozido, uma das mais tradicionais comidas de rua coreana. Achei meio sem graça e bem apimentada, era como comer um monte de molho apimentado com udon mega gigante. Mas talvez seja uma daquelas coisas que a gente gosta quando está acostumado a comer desde a infância, não? rs.

Spoon_FG_027

Spoon_FG_036Na barraca do Antonietta, experimentamos o polvo alla rabiatta.

Spoon_FG_038O polvo estava macio, mas predominava o sabor de queimado/carvão e alcaparras.

Spoon_FG_037Agora, quem resiste a este show de queijo???

Spoon_FG_032Eu não resisti, tive que experimentar o bauru com este queijo. Esse é meu!Spoon_FG_033Tava bem gostoso, só faltou um pouco de sal. O pão bem fresquinho, as texturas do recheio… hmmmm.

Spoon_FG_034Também experimentamos doces, eu escolhi o Jabutimatcha (R$ 10), mini bolo de chá verde com gelatina de jabuticaba e creme de chocolate ao leite, do Confeiteiro Lucas Corazza. Lindíssimo, não?

Spoon_FG_040Esse tive que experimentar por conta das minhas pesquisas sobre receitas com matcha, mas nesse sentido foi um tanto quanto decepcionante, pois mal senti o gosto de chá. De forma geral, tenho percebido que doces de matcha precisam ser mais suaves aqui no Brasil para serem melhor aceitos, parece que aquele amargorzinho incomoda muita gente, rs.

Spoon_FG_041Experimentamos também um cheesecake, que infelizmente não tinha sabor algum de cheesecake… E estava com pouco recheio, muita massa…

Spoon_FG_042Bem, deixo aqui mais algumas imagens dos quitutes da Feirinha.

Spoon_FG_004

Spoon_FG_006

Spoon_FG_008

Spoon_FG_011

Spoon_FG_012

Spoon_FG_016

Spoon_FG_018

Spoon_FG_020

Spoon_FG_022

Spoon_FG_024

Spoon_FG_026

Spoon_FG_029

Spoon_FG_030

Spoon_FG_031Feirinha Gastronômica
Site Facebook: https://www.facebook.com/FeirinhaGastronomica?fref=ts
Site: http://feirinhagastronomica.com.br/o-que-e/
Endereço: Espaço Qualquer Coisa, Praça Benedito Calixto, 85, Pinheiros.Horário: 11h ás 19h.

O Mercado – Festival Gastronômico das Estações – Primavera!

Ontem foi dia de O Mercado, Festival Gastronômico das Estações, edição da Primavera!

Desta vez o dia não estava muito propício para um evento ao ar livre. Desde cedo a chuva tomava conta da cidade, ótimo para as plantas, que estavam sofrendo com a grande seca. Apesar do dia nublado com chuva que ia e voltava, parecia mais Primavera, com flores espalhados por todos os cantos. Cheguei lá pras 14 horas e, que sorte, a chuva havia dado uma trégua.

Spoon_OMercado_038Logo na entrada de quem chega pela Assembléia, dei de cara com o chef Rogério Shimura e seus pães de dar água na boca.

Spoon_OMercado_039Tudo a ver com a primavera, uma intervenção interessante, com a proposta de plantar mudas de flores em vias públicas.

Spoon_OMercado_040Mas vamos ao que interessa, as delícias do dia!! Uhuuuu. Bati o olho no cardápio, e de cara fiquei com baita vontade de experimentar dois pratos do Henrique Fogaça, de quem sou super fã. O primeiro foi o Ragu de cordeiro com purê de batata e gruyère, queimado no maçarico, do Sal Gastronomia. Meo deos, foi de lamber os beiços! E ainda de brinde a cumbuquinha para lembrar todos os dias das delícias do evento.

Spoon_OMercado_041Na sequência fui experimentar o Fox Terrier: sanduíche de coração de galinha, queijo brie derretido, rúcula, tomate e cebola, do Cão Véio. Véio, na boa, é bom demais!!! hehehe. Isso que nunca gostei de coração de galinha, acho que meu paladar está mudando, e claro, um prato bem preparado ajuda muito nessa transição, né!!

Spoon_OMercado_042E olha a fila do Cão Véio…

Spoon_OMercado_049Acho que uma coisa que tem aumentado nesse evento é a divulgação de produtos orgânicos. Interessante parceria, deixando de ser simplesmente um evento para degustar pratos, ampliando para questões mais amplas relacionadas à alimentação.

Spoon_OMercado_044Outra coisa que vejo aumentar a cada edição do evento, são os produtores de cervejas, parece que essa moda veio mesmo para ficar!

Spoon_OMercado_050Ah, e essas pimentas e outros temperos do Chincho Cabrón… a variedade cresce a cada evento também. E olha que são deliciosos!

Spoon_OMercado_052E claro, sempre rola muita degustação. Nhamyyyy… kkkk

Spoon_OMercado_051Agora vamos continuar a comilança, desta vez, escolhi os ‘Chicharrones’: costelinhas muito temperadas e crocantes, acompanhadas de milho andino, do Checho Gonzales. As costelinhas estavam maravilhosas, e o milho, me fez lembrar da minha viagem por Bolívia, Peru e Chile. Nossa, como é bom comer comida gostosa e ainda recordar de momentos especiais!! Aí sim!!! Aqui a galera preparando:

Spoon_OMercado_056E o meu prato!! Bom demais!!

Spoon_OMercado_057Já estava completamente cheia, mas são realmente muitas opções, como tapa do Juliano Valese.

Spoon_OMercado_045Fora os doces, que desta vez consegui evitar, hehehe. Sim, me contive, pois teria uma festa de aniversário de noite.

Até a hora que fui embora, lá pras 16:20, a chuva não veio, e o clima era de pura festa. Evento cheio e com muita alegria. Depois que voltei para casa, discuti com o pessoal porque gostava tanto deste evento. A comida costuma ser maravilhosa, mas além disso, acho que o público é mega diverso e um clima muito descolado. Até as músicas, meio alternativas, são exatamente de estilos que gosto muito. Adorei quando cheguei e pude escutar uma moça cantando em francês. Tuuudo!!!

Spoon_OMercado_047Fechando com chave de ouro, olha que bacana, poder reencontrar uma amiga que não encontrava ao vivo há tempos. Ah, Juju, minha parceirona dos treinos de Boxe!!!

Spoon_OMercado_054Para quem quiser acompanhar as próximas edições, curtam a página do evento no Facebook:
https://www.facebook.com/o.mercado.feira.gastronomica?fref=ts

 

Espaço Kazu, a primeira impressão decepcionou

Aproveitando o meu passeio pela Liberdade, tentando encontrar alguns produtos, resolvi conhecer o Kazu, sempre presente em feiras e eventos. Apesar de frequentar algumas vezes os restaurantes da R. Tomás Gonzaga, nunca havia visto esta fachada modernosa. Pensei, deve fazer um tempão que não passo por aqui… rs.

Spoon_AG_0493O restaurante é relativamente espaçoso.

Spoon_AG_0499No andar superior a parte de sobremesas, que é um espaço de café também.

Spoon_AG_0494Quase 13:20 e achei que pegaria uma baita fila, mas foi muito tranquilo pela existência de cadeiras no balcão. Sentei quase que imediatamente. Como havia comido um pastel no café da manhã, resolvi pegar mais leve, algo como um peixe assado. Escolhi o “Yakizakana da época”, no caso o arenque da Noruega, resolvi experimentar por curiosidade mesmo.

Sentei no balcão, e nem arrumaram o hashi e o salzinho que reparei que colocam quando sai um cliente e prepara para o próximo. Oshibori (toalhinha úmida e quente) também não tinha, sei lá, faz uma falta em restaurante japa, não? Pelo menos é uma das primeiras coisas que acabo esperando em restaurante japonês, mas pensei, deve ser uma proposta mais moderna, vai saber. Pedi o prato e na hora avisaram que o buffet de saladas estava disponível para o prato que eu havia escolhido.

Spoon_AG_0500Peguei o que parecia mais japa, nada de maionese de batata, refogado de abobrinha e coisas do tipo. Escolhi apenas 3, a berinjela, o rabanete e a acelga. O melhor foi a berinjela, no ponto, levemente adocicado, suculento, mas observo que se não pegar a parte de cima da bandeja, nem é tão bom. Explico melhor, eles empilham demais a berinjela e só no topo tem gengibre e cebolinha que fazem TOTAL diferença. O rabanete estava mais ou menos, achei meio doce demais e senti falta de acidez. A acelga estava meio sem tempero, predominou a pimenta vermelha.

Spoon_AG_0501O tempo foi passando e nada do prato chegar… Nessas horas a gente começa a reparar em tudo, né. O balcão preto na minha frente estava extremamente empoeirado, dava muita aflição. Se olhar a foto com atenção, dá para ver onde passei a mão…

Spoon_AG_0502E o pote de shoyu da Sakura com adesivo por cima com o nome da concorrente Kikkoman… não deu para deixar de notar…

Spoon_AG_0504A minha vizinha que pediu o prato quase junto comigo, e que comia vagarozamente, estava quase terminando. Dois japas sentaram do meu lado, chegaram bem depois, e já haviam comido a entrada de shimeji muito branco e enorme, e estavam comendo pratos com curry, que aliás, devia estar muito bom, porque os comentários foram bem positivos.

Eu nem estava com muita fome quando cheguei, mas a esta altura já estava ficando incomodada. Foi então, que depois de 30 minutos, o funcionário que parecia o gerente veio falar comigo. Perguntei em tom de piada, “vai dizer que não tem o peixe?”. Ele respondeu que haviam esquecido de colocar o peixe na grelha e que demoraria uns 10 minutos, pediu desculpas e me ofereceu uma cortesia. Aceitei. Sei lá, depois que comecei a trabalhar em restaurante, algumas coisas a gente fica muito cri-cri, mas outras a gente passa a entender e tentar ser compreensiva, pensando que um dia pode acontecer comigo também, essa coisa de esquecer. Mesmo a cortesia demorou um bocadinho, um Ussuzukuri de salmão. É… bonito não é, nem as fatias bem finas, o molho estava mais ou menos. Mas pensando como uma cortesia, não seria muito crítica. Um casal que comia perto, ainda mergulhava esse salmão no shoyu, mega aflição… kkkk

Spoon_AG_0503Antes que terminasse de comer o salmão, chegou finalmente o prato que eu havia solicitado. Bonito o peixe, não? Veio acompanhado de Missoshiru e Gohan.

Spoon_AG_0506Aqui preciso abrir um parênteses para o Gohan, por deus, quem serviu isso???? Um tanto quanto desleixado, não?! Além da apresentação, o arroz estava meio empapado e os grãos estraçalhados. Peloamor, mais respeito com o arroz!!! Não consegui deixar de reparar no prato dos japas, deve ser a mesma pessoa que serve o arroz, pois vi o bloco, bem a parte que fica no fundo da panela e fica mais queimadinha, sabe?

Spoon_AG_0507O Missoshiru estava OK, mas não consegui terminar de tomar, no final estava meio salgado. Vem com tofu, algas bem picadas e cebolinha.

Spoon_AG_0508Ah, e por fim o arenque. Esse estava ótimo, muito saboroso, bem umidinho. E a quantidade, achei relativamente grande, dividiria tranquilamente com a minha irmã, hehe. Ponto positivo, finalmente!

Spoon_AG_0509Só o prato é meio pequeno para esse peixe, fica um pouco difícil de manusear, considerando que temos que tirar a espinha.

Spoon_AG_0510Bem, digamos que a primeira impressão não foi muito boa, mas considerando uma refeição relativamente barata para restaurante japa, relevo algumas coisas. Tentaria uma segunda vez, mas para comer o Curry que os japas estavam gostando, além de experimentar as tentações do piso superior. Olhem a sequência de tentações!! Amo doces japas!!

Spoon_AG_0495Spoon_AG_0496

O que mais tenho vontade de experimentar é o Choux Cream de Amêndoas, fortemente recomendado por uma amiga.

Spoon_AG_0497E tem também os lanches salgados, parece um bom lugar para tomar lanches, bater papo com amigos, dar um break no meio de um passeio…

Spoon_AG_0498Espaço Kazu
Site: http://www.espacokazu.com.br/
Endereço: Rua Thomaz Gonzaga nº 84/90 – Liberdade
São Paulo – SP
Horário de Funcionamento:
Terça à Sábado: 11h00 às 15h00 / 18h00 às 22h30min.
Domingo: 11h00 às 15h00 / 18h00 às 21h00.

Yoka, a pastelaria campeã!

Olha, essa foi uma grande surpresa. Sempre passei na frente do Yoka e nunca tive vontade de entrar, até que um tempo atrás um dos souschefs comentou que o pastel deles era maravilhoso. A recomendação era o pastel de carne com ovo de gema mole. Fiquei mega curiosa para conhecer.

Então resolvi tomar o café da manhã lá, rasgueira, eu sei, mas a vontade era muito grande, hehehe. Olha a fachada, eu não dava nada…rs

Spoon_AG_0480O lugar é meio apertadinho, e as mesas acabam sendo coletivas.

Spoon_AG_0482Os preços dos pastéis variam de R$ 4,50 a R$ 10,50.

Spoon_AG_0481E depois de alguns minutinhos, chega o meu pastel, don, don, don… expectativa… rs

Spoon_AG_0483É menor que um pastel especial, mas estava bem pesado. E voilá, que espetáculo!!! Mega recheado, recheio bem feito e umidinho, delícia!!  Ah, e a massa, bem sequinha e crocante! Vale a pena experimentar.

Spoon_AG_0484Além dos pastéis, eles servem também salgados como esfihas, coxinhas e quibes, que pareciam muito bons também. Pastel Yoka foi eleito “O melhor pastel da cidade” pelo júri da Veja São Paulo em 2012. Confiram a matéria na Band na qual aparecem os famosos pastéis:

Yoka
Site: http://www.yoka.com.brR. dos Estudantes, 37, Liberdade, São Paulo, SP.
Horário de funcionamento: 9h às 20h (sáb. e dom. até 19h)